sábado, 7 de janeiro de 2012

TT - Clube Slot de Braga

Foi de agrado geral, a prova de Todo Terreno que se levou a efeito esta sexta-feira última nas instalações do Clube Slot de Braga.
Numa realização levada a cabo pelo interesse começado a demonstrar pelos praticantes dos Slot Cars bracarenses, acabou por se conseguir reunir material para montar um troço de grandes dimensões, onde numa primeira fase se conjugavam obstáculos de transposição difícil e que permitia a realização da prova para modelos mais desenvolvidos tecnicamente, passando-se depois à segunda fase, onde a grande maioria dos obstáculos foram retirados, permitindo assim que modelos como os Ninco conseguissem percorrer a totalidade do traçado. Como dificuldade comum às duas classes, encontrava-se esta enorme subida que causou algumas dores de cabeça.
 Cada uma das classificativas obrigava ao cumprimento de 4 voltas consecutivas, o que permitia aos mais afoitos, um aperfeiçoando do  seu andamento, volta a volta.
 A zona dos oásis também lá estava, mas funcionava mais como decoração do que zona de dificuldade acrescida.

 As subidas com curvas no extremo, eram das zonas que por vezes obrigavam a grandes cuidados por parte dos pilotos, como era o caso da curva da queda de água, que por mera casualidade, faz lembrar qualquer coisa....

 O parque automóvel era grande e obrigou a muita seleção por parte dos participantes. Muitas opções, para uma escolha máxima de 2 modelos por piloto.

 Miguel Queirós na fase dos preliminares, a prestar grande atenção ao estado das palhetas.

Apesar de Pedro Fonseca se ter prestado à ajuda da montagem da pista, não nos permitiu ainda que fosse desta que o víssemos a gatilhar.

Momentos antes da prova, onde cada um teve a oportunidade de experimentar os seus modelos escolhidos.

 Rui Loureiro por exemplo, percebeu rapidamente que teria que desistir da sua primeira aposta, que havia recaído no Mitsubishi Pajero.

Trocas de impressões entre pilotos, momentos antes desta ter início.

Tal como se pode verificar, para uma prova marcada sem calendarização, até se preencheu um belo parque de participantes.
Os Vokswagen Touareg estiveram em franca maioria na categoria rainha, enquanto na outra classe, eram curiosamente os modelos de tracção apenas atrás, que mais preencheram o parque fechado.
 Na classe inferior, as Ford Pro-Truck e os Bugy Schelesser fizeram um bom número.
 Augusto Amorim arriscava a participação, com um modelo da SCX, já de coleção.

 Paulo Mendes trazia um chassis de ponta, coberto por uma carroçaria de Volkswagen Touareg da Ninco.

António Maia abriu a prova e de que maneira. Viria a ficar em segundo, apenas batido pelo Bugy de Augusto Amorim, modelo que se mostrou imbatível.

 No final, na classe dos menos competitivos, vencia Paulo Mendes com o seu competitivo Touareg, seguido de Augusto Amorim num Mitsubishi e Miguel Queirós, no seu Bowler.

Já na classe rainha, a primeira posição pertenceu a Augusto Amorim, enquanto no segundo e terceiro lugares ficavam António Maia e Luís Pedro, o jovem que prova a prova, tem vindo a surpreender.
Uma noite de sexta-feira muito bem passada, onde o agrado foi geral e espera-se, este tipo de prova tenha continuidade.