domingo, 15 de março de 2015

Campeonato GT Superacing Scaleauto - Paulo Mendes campeão

Deu-se por findo o Campeonato que reuniu máquinas da categoria GT do fabricante Scaleauto e pilotos que bem souberam abrilhantar mais esta competição.
 Prometia-se luta séria àquele que insolentemente havia ganho todas as provas, deixando para trás pilotos como Luís Azevedo e Augusto Amorim, por exemplo.
 De Guimarães, tivemos uma vez mais a presença de Marco Silva, muito embora se tenha apresentado abatido fisicamente, já que o seu corpo se sentia levado por um princípio de gripe. Os seus olhinhos não mentem.
 Carlos Campos aproveitava a sua presença, para registar também alguns instantâneos.
 E lá se iniciava a primeira das duas mangas que comporiam esta prova, com Paulo Mendes a sentir-se despreocupado, pois detinha uma máquina com provas já assumidamente dadas.
 A assistência feminina é sempre um agradável complemento e não falhou a presença da mãe da nossa grande promessa. Em boa hora o terá feito, pois assistiu à primeira e única derrota que Paulo Mendes haveria de sofrer neste campeonato e logo conseguida pelo seu filho, David Fernandes. De exemplar conduta no decorrer da prova, este jovem pôde contar com alguns problemas de que padeceria o Honda de Paulo Mendes. No entanto, não se lhe pode retirar mérito nesta vitória, pois foi exemplar o se desempenho. Outro dos potenciais vencedores era Augusto Amorim, mas sentiu-se incapaz de lutar pela primeira posição, tendo completado a mesma no terceiro lugar. Ricardo Ferreira seguia-se-lhe, ficando atrás de si David Azevedo, que com um Honda absolutamente ineficaz, nada podia fazer para acompanhar o ritmo dos demais companheiros de manga.
 A segunda ronda contava com os pilotos Marco Silva, Carlos Campos, César Amorim e Rui Mota. Com Marco Silva a adaptar-se a um novo punho e com um início de gripe à perna, a sua prova complicava-se por natureza, mas via Carlos Campos ficar atrás de sí, pois o seu processo de aprendizagem e adaptação ao traçado, parece ter ainda que se lhe diga. No entanto, a sua progressão faz-se notar, já que o seu número de voltas tem aumentado de prova para prova. E o interesse desta manga recaía nos desempenhos de César Amorim e Rui Mota, que mantinham uma interessante luta que viria a pender a favôr deste último, por uma volta apenas. Aqui uma menção igualmente honrosa a este segundo jovem piloto, César Amorim, que cada vez mais se mostra como um temível adversário. E contas feitas, embora os três primeiros da primeira manga tenham mantido as posições, Rui Mota consegue posicionar-se no quarto posto à frente de Ricardo Ferreira. Este por sua vez classifica-se na quinta posição, com a vantagem de 28 metros apenas, sobre César Amorim. Seguiram-se-lhes Marco Silva, David Azevedo e Carlos Campos, mas a uma distância já considerável de voltas.

 Finalmente, o Honda verde e branco viu-se desalojado do lugar mais alto, por troca daquele que andou numa luta pegada o campeonato todo, com o da tinta escorrida.

 E se na prova David Fernandes se conseguiu interpôr no pódio entre os mais velhos, assumindo a vitória, para o campeonato foi Paulo Mendes quem riu melhor.
Para o pódio do campeonato, tivemos ainda a colaboração do "emplastro Marquinho"....doente, mas sempre bem disposto.
 Paulo Mendes, o incontestado campeão, viu ainda David Fernandes assumir a segunda posição, enquanto Augusto Amorim não ía além do terceiro degrau.
 E se Paulo Mendes nos merece um enorme "PARABÉNS" pelo incontestado domínio exercido, também David Fernandes acabaria por demonstrar a enorme valia que representa para este clube, pois apesar da sua juventude, demonstrou um andamento, consistência e maturidade a todos os níveis, "NOTÁVEL". Igualmente de parabéns, Augusto Amorim que consegue estar constantemente na luta pelos lugares principais.
E um obrigado a todos quantos se fizeram presentes em cada uma das jornadas, pois a boa disposição com que sempre souberam estar, é de importância capital para este Clube. Um grande obrigado em especial ao nosso regressado Carlos Campos que apesar de se ter mantido em posições da retaguarda, sabe preservar os valores da modalidade com enorme dignidade. Aos vimaranenses também uma palavra de agradecimento, pois sabemos o esforço que por vezes fazem para poderem connosco usufruir de alguns momentos de boa disposição aliados à competição que tanto apreciamos.
Muito obrigado.