domingo, 8 de março de 2015

Penúltima prova GT Superacing Scaleauto


 A quarta e penúltima prova deste campeonato, decorreu com a disputa de duas mangas, sendo a primeira composta pelos pilotos melhor posicionados no campeonato e a segunda, pelos pilotos que lhes seguiam.
A Paulo Mendes, cabia-lhe a honra de defender as três primeiras vitórias, enquanto Augusto Amorim e Ricardo Ferreira prometiam dar luta séria a este que tem sido até agora, um piloto imbatível. Como autesideres mas atentos a qualquer distracção dos opositores, encontravam-se David Azevedo e César Amorim.
 Mas esta primeira manga viria a confirmar a manutenção da supremacia do piloto comandante deste campeonato, com Augusto Amorim a tentar o tudo por tudo para contrariar esta superioridade. Ricardo Ferreira posicionar-se-ia no lugar seguinte, seguido de César Amorim que se impunha pela diferença de 24 metros a David Azevedo.
 No final, Paulo Mendes parecia querer dizer que foi barba e cabelo...

 A segunda manga viria a ser composta pela brigada do reumático, com David Fernandes, o mais novato destas lides, a contrariar e de que maneira, esta tendência.

 E quem é que estes dois vos fazem lembrar?

 E Mister Campos fez o favôr de se juntar à pandilha dos enferrujados marretas....
 Enquanto isso, era Ricardo Ferreira que tentava desestabilizar a determinação da velha guarda.
 Mas a animação imperou na boa disposição dos "três velhotes" onde até o nosso querido Kikas fez questão de alinhar. Apenas David Fernandes se sentia como uma carta fora do baralho.
 Mas a prova lá decorreu sempre sob o espírito lutador possível desta categoria etária e onde David Fernandes não perdoou, vencendo a manga e conquistando a terceira posição final. Rui Mota ainda deu um ar da sua graça com o único BMW Z4 presente e a fazer jus à imagem do cartaz, resgatando uma surpreendente quarta posição final, com uma vantagem de apenas 3 metros sobre Ricardo Ferreira que havia participado na primeira das duas mangas.
 De referir que o desempenho geral decaíu substancialmente relativamente à prova anterior, onde se tinham atingido as 163 voltas. As 159 voltas atingidas nesta prova e que permitiram a vitória, teriam resultado numa quarta posição na terceira e anterior jornada.
 Mas com este resultado, Paulo Mendes mantém a invencibilidade neste campeonato, esperando-se para o fecho, uma reacção por parte dos adversários mais directos, no sentido de contrariar esta supremacia.

 E se nos pódios dos carros só temos visto Honda, já no dos pilotos, embora sempre composto pelos mesmos elementos, Mendes tem-se mantido ao meio e tem visto uma troca constante entre Augusto Amorim e David Fernandes, a jovem promessa deste clube.