domingo, 20 de maio de 2012

Razões para vir a ser uma referência - Lola B09/60 - Slot.It

 Chegaram muito recentemente ao mercado, dois dos mais esperados modelos anunciados para o Slot. Tratam-se por parte da Avant Slot, do Mitsubishi do português Armindo Araújo e a nova promessa do fabricante Slot.It, o Lola B09/60.
Abordaremos aqui apenas ao  modelo de produção italiana, já que Armindo Araújo vê outro artigo dedicado ao seu modelo.
 Mas se por parte da Avant Slot, consideramos que as suas reproduções se apoiam em produções de alta qualidade final, pela primeira vez e apesar do avanço técnico ao nível dos seus conceitos dinâmicos e que se tratam de avanços significativos, a Slot.It já deixa muito a desejar relativamente à qualidade final da apresentação deste seu novo produto.
 Modelo de estética que não agradará a todos, apresenta-se no entanto ao nível das suas proporções, como um modelo muito bem conseguido. O mais marcante no entanto, é a qualidade do molde da carroçaria, que se mostra bem deficitária quando comparada com as mais recentes produções duma Avant Slot ou MSC por exemplo. Um verdadeiro passo atrás dado por estes italianos que nos haviam habituado a belas reproduções.
 No entanto, a aposta neste modelo foi complementada com excelentes opções mecânicas, algumas delas em estreia absoluto para os actuais conceitos. A actual tendência das formas das carroçarias dos Sport Protótipos da actualidade na sua secção frontal, por serem muito estreitas, delimitam aos fabricantes a possibilidade de se conseguir um encaixe de patilhão que não fique atrapalhada quanto à tarefa a que se destina. Isso obrigou Maurizio Ferrari a desenvolver um novo conceito de patilhão que ultrapassasse este problema, o que foi perfeitamente conseguido.
 A forma da sua carroçaria e talvez por isso a opção nesta máquina, parece composta por dois conjuntos perfeitamente independentes. Na verdade não o são, mas a secção frontal á acoplada à secção traseira, quase exclusivamente pelas paredes do cockpit. Isso permite que o seu conjunto assuma uma flexibilidade invejável, acabando por minimizar a resistência à torção que o próprio chassis possa exigir. Pequenas lâminas na horizontal num plano superior a essa zona, disfarçam o quão frágil é na verdade a ligação entre a frente e a traseira deste Lola, já que a sua posição ao nível dos flancos, não permite essa observação.
 A decoração deste Lola é uma vez mais desenvolvida pelo processo de tampografia e neste particular só poderemos tecer também os maiores elogios. Muito bem decorado, deixa-me apenas uma suspeita quanto à cor verde base, pois a ideia que tenho é de se tratar de um modelo verde metalizado, mas como há ângulos em que olho para esta miniatura e fico também com essa ilusão, encontro-me seriamente na dúvida, se será na verdade metalizado.
 Como nota verdadeiramente negativa, a qualidade do molde deste modelo. Ao que parece, ou a Slot.It se muda da China para a Europa e Portugal seria uma verdadeira hipótese por ser uma referência mundial nessa matéria, ou correm sérios riscos de começarem a apresentar trabalho abaixo da qualidade por nós desejada e já exigida.

 Mecânicamente, este modelo LMP encontra-se equipado com um novo berço para motores em posição anglewinder. Também o motor é um novo Flat revestido com uma película amarela, sem qualquer tipo de referência impressa.
 O chassis, apresenta em ambas as extremidades, orifícios para se incluírem parafusos delimitadores da basculação deste, com a carroçaria. Uma opção que já outros fabricantes começaram a incluir nalguns modelos e que em alguns casos bem pode ser uma necessidade, pois acaba por permitir por exemplo, que as rodas não batam na carroçaria.

 A qualidade dos moldes, reflectiu-se também na qualidade final dos novos patilhões, já que a lâmina no seu limite mais inferior se apresenta ao nível do mais barato brinquedo, isto é, cheio de rebarbas. Talvez essa venha a ser a razão pela qual se inclui um destes acessórios extra e um pequeno papel com uma nota a sugerir exactamente a sua substituição.

 O novo formato do patilhão, obrigou a um novo estudo para a sua fixação no chassis. Também o patilhão se vê considerávelmente distante das habituais formas que conhecemos. Para já, um dos problemas que virão por arrasto, será a forma e as variadas qualidades de palhetas pela qual poderíamos optar para qualquer patilhão. Agora, estas exigem uma chapa na sua extremidade. Terão que ser específicas para este modelo, ou então exigirão algum trabalho de casa extra para a sua adaptação.

Mas a verdade é que este Lola já foi testado em pista e mesmo mantido no seu total estado de originalidade à excepção da remoção do imane, fez tempos brilhantes e prometedores.
A concorrência que se cuide.....