sábado, 4 de junho de 2016

BMW 3.20 Gr.5 - Sideways - A vez do "Rodenstock"

 O curto período de vida do BMW 3.20 de Gr.5 no seio do fabricante Sideways, permitiu no entanto que nos tivesse chegado já a quarta versão deste ícone bávaro.
 E entre os dois primeiros 3.20 até nós chegados, dois modelos da mesma equipa e referentes à mesma prova, a única diferença entre ambos residia no lábio frontal existente abaixo da grelha do motor. No modelo com o dorsal 15, abaixo dos faróis mais exteriores surgem duas tomadas de ar. A versão com o número 14 viu suprimidas as mesmas.
 Mas se entre esses, esse era o único elemento distintivo, já para a versão que se lhes segui passaram a ser algumas e de maior relevo. Recebeu um novo spoiler frontal com formato mais descendente e a forma dos guarda-lama frontais receberam igualmente um novo desenho na parte mais recuada.
Também a secção traseira sofreria algumas modificações, como novas derivas verticais do aileron e o próprio aileron que passou a ser constituído por dois elementos e não um como inicialmente. E na parede vertical traseira onde se encontram os farolíns, na parte correspondente aos guarda-lama surgiram saídas de ar inexistentes nos dois primeiros. Na parte mais recuada da tampa da mala e abaixo do aileron existe agora um novo apêndice aerodinãmico que permitia o aumento do down force.
Mas a Sideways foi mais longe, não se tendo ficado por aqui. Entre este e o agora chegado, o bonito modelo patrocinado pela "Rodenstock/Würth" pilotado por esse grande senhor, Manfred Winkelhock, a aparência engana. No imediato e a saltar mais rápidamente à vista, encontra-se a distinta forma das derivas verticais que suportem o aileron, sendo que estes se encontram de absoluta igual forma. A partir daqui, nada mais salta à vista, contudo, as diferenças existem.
Pela primeira vez surge a grelha de dois faróis apenas e não como até aqui, com tampas a tapar os buracos dos dois faróis mais interiores, já que correspondiam a grelhas de quatro faróis. Mas também o spoiler frontal foi alvo de adaptação à realidade, recebendo uma nova tomada de ar subida e ao centro do mesmo.
Menos notada estão as novas entradas de ar existente na superfície superior dos guarda-lama traseiros. Em nenhuma das anteriores versões existiam, o que acaba por nos forçar a um especial agradecimento a este fabricante, já que este pormenor obrigou a recorrer-se a um novo molde. Para as restantes diferenças apontadas, estas aconteceram em elementos isolados do corpo principal do modelo mas neste caso, este pequeno pormenor obrigou a que se fizesse uma nova carroçaria.
E ficaram assim apontados os elementos distintivos entre estes quatro BMW, podendo-se acrescentar também a adopção de novas jantes, já que agora receberia os comuns tampões de arejamento dos travões.
E de seguida, as minhas maldadezinhas.
Pois é, tudo muito bonitinho, mas, e as coisas que estão mal?
E começo por apontar a fraca qualidade que estes moldes apresentam, muito à semelhança do que tem vindo a acontecer com as criações da Slot.It. De facto, merecia-mos que estas preciosas reproduções nos chegassem com elevada qualidade, mas não, entristece-nos olhar e vêr imperfeições indesejadamente existentes.
Mas será essa a parte de menor relevo, já que o que aqui se pretende versar, são mesmo os erros de reprodução relativamente à realidade. E nesse particular, atente-se à imagem de cima. Nas extremidades laterais da ligação dos guarda-lama ao spoiler, esta acontece em forma de pequenas derivas aerodinâmicas. Se agora direccionar-mos a nossa vista mais para baixo, justamente para a versão de origem sideways, percebemos que esse pormenor não terá merecido por parte do fabricante a respectiva correcção.
Também a nova grelha, recebeu dois faróis apenas, mas estes deveriam ser de maior dimensão. Infelizmente a Sideways manteve o diâmetro dos mesmos.


 Foquemo-nos agora nas embaladeiras deste 3.20.
Se nas anteriores edições não haverá nada a apontar nesta secção do modelo, aqui teremos mesmo que não deixar passar. Esta versão recebeu o escape do lado contrário, ou seja, do lado direito e não esquerdo como aqui se vê. Uma falha na verdade imperceptível à grande maioria de nós, mas não deixa de fazer parte do "lote" de incorrecções a merecer-nos atenção.
Em baixo percebe-se que o "lança-chamas" se encontra na lateral direita deste vencedor da divisão II em 1979 no circuito de Zandvoort.
Mas felizmente, parece-me que estes são os únicos aspectos a merecer apontamentos de erro e temos a certeza de se tratar de mais uma pérola tanto no campo dos modelos de Gr.5 a engrossar as grelhas de partida dos slot cars e uma peça de enriquecimento de colecções.