quarta-feira, 11 de abril de 2012

Uma marca, uma paixão - Coleccionismo - Porsche

 A Porsche é uma marca cujo seu passado histórico, se encontra recheado de acontecimentos dignos de registo. Ainda que os ficando a dever a acontecimentos de índole desportiva, é ainda hoje a partir do seu memorável 911, que as restantes marcas rivais se servem para a partir das suas referências dinâmicas, conseguirem os desejados desenvolvimentos.
 Como antecessor, a série 356, cujos modelos de baixas potencialidades davam já nas vistas pelo grande equilíbrio e baixo peso. Muito aplicados também na competição, foram abrindo portas a novas séries desportivas, tais como o 718 ou o 904, que foram permitindo um aproximar da marca a verdadeiros ímpares registos que hoje inscrevem a marca alemã, num dos maiores pedestais dos acontecimentos desportivos do mundo automóvel.
 A série 911 contudo, manteve-se como o número mágico pela qual a Porsche tudo faz, para manter a sua dignidade ao mais alto nível. E a verdade é que todas as marcas se regem por esta referência, no intuito de se conseguirem manter a par da mais alta linhagem do sector tecnológico automóvel.
 Porém, a marca alemã mantém apostas noutras gamas, como os desportivos mais acessíveis, mas também nos verdadeiros desportivos de eleição e até nos grandes familiares.
 Mas o 911 manteve-se ao longo de toda a sua carreira dentro da marca e desde o seu aparecimento, como o modelo referência tanto como o citadino desportivo, como também como o verdadeiro cavalo de batalha para as competições. A marca ainda hoje faz questão de manter a política, estando para breve previsto o surgimento do mais recente desenvolvimento sobre esta base do 911 e que se anuncia capaz de complicar a vida às mais altas referências da actualidade.
 Pequenos construtores foram também vivendo à sombra deste gigante, como a Bauer que servindo-se da estrutura do histórico modelo de competição 956, desenvolveu o seu próprio 956 de estrada, que acabou mesmo por conseguir vencer a clássica francesa das 24 horas de Le Mans.
 Mas ainda na senda dos três dígitos de maior relevância no seio da Porsche, foram nascendo verdadeiras lendas, como os três primeiros exemplares mostrados na imagem de cima, a contar da direita para a esquerda e que culminou mesmo com a última vitória da marca na clássica francesa, que registou o impressionante número de 16 vitórias naquela prova, sete das quais consecutivas. Ainda na mesma imagem e à esquerda, o incontornável "Mobydick". Pequenos construtores houve também, que apoiados em mecânicas germânicas, conseguiram os seus êxitos desportivos, como foram os caso da Joest, Kremer e TWR.
 O continente Norte Americano, foi dos que mais partido tirou do sucesso das máquinas deste construtor, já que foram inúmeros os sucessos conseguidos por esta marca, em todo o tipo de competições que por lá se foram fazendo, desde Daytona até ao disputadíssimo campeonato Can-Am. Foi justamente aí, que a Porsche disponibilizou o carro de competição mais potente até hoje construído. Com os seus anunciados 1300 cv, o Porsche 917/30 acabou mesmo por se ver banido daquele campeonato, já que o desânimo provocado na concorrência foi tão significativo, que os promotores se viram obrigados a novas leis como forma de o deixar fora do regulamento.
 Mas Le Mans foi o palco onde a armada germânica sempre se sentiu como peixe na água. O modelo 917, foi então o ícone maior como referência naquela prova, já que é a ele que se deve o primeiro sucesso de grande relevo mundial para a Porsche. Foi nesse mesmo ano que o mesmo modelo consegue igual êxito do outro lado do Atlântico, já que Daytona viu também consagrar e subir ao degrau mais alto, este mesmo modelo. Decorria o ano de 1970, e estava então feita a consagração mundial da marca, como a mais alta referência desportiva. Inseparável desse êxito, ficou igualmente o mágico 917, considerado hoje ainda por muitos, como o mais perfeito modelo de competição de todo o sempre.
 Mas o 911 não foi nunca esquecido, sofrendo constantes evoluções que foram permitindo que se fosse mantendo como uma constante referência, o que lhe granjeava a simpatia de um grande número de pilotos privados apostados na competição a custos mais reduzidos e de eficácia quase garantida. No entanto, era a fábrica que mais fortemente apostava no seu desenvolvimento, sendo a série 911 a apostar fortemente no desenvolvimento tecnológico dos Turbos na competição.
 911 e 917, transformaram-se verdadeiramente em memoráveis siglas para a marca germânica.
 Mas o passado histórico não se esbate com a glória dos mais recentes êxitos, pois foram eles que passo-a-passo, permitiram a escalada de gigante que hoje reconhecemos à marca.
 Impune não ficam também as siglas 956/962, já que é a eles que se lhes fica a dever a maior série de êxitos consecutivos conquistados em Le Mans, com vitórias desde 1982 até 1987, para além de um enorme domínio no Campeonato do Mundo de Grupo C.
Porsche, uma marca que dificilmente encontra uma rival......