sábado, 20 de junho de 2015

Campeonato DTM - Quarta prova e um novo vencedor

 O disputadíssimo Campeonato DTM que tem abrilhantado as sextas-feiras no GT Team Slot Clube, teve o grato prazer de assistir a uma excelente vitória do juvenil César Amorim, registando assim a sua primeira vitória absoluta, frente a uma armada de experimentados pilotos.
 Registe-se igualmente o regresso do piloto portista Miguel Vigoço, numa participação em estreia neste campeonato mas que confirma pelo seu andamento a excelência dos seus dotes de pilotagem na modalidade, muito embora a sua falte de treino neste traçado, tivesse sido preponderante para uma menos conseguida classificação final.
Pedro Martins esteve também presente, demonstrando séria vontade de marcar o seu regresso à modalidade.
 A prova teve início, tendo-se recorrido ao processo de calhas virtuais, o que acaba por baralhar sempre as referências quanto às posições relativas entre os pilotos. No entanto, era notório o elevadíssimo ritmo de andamento da maioria dos pilotos, onde sobressaíam os andamentos dos pilotos vimaranenses, Carlos Afonso e Marco Silva, o que denotava uma séria entrada nos lugares cimeiros.
 Mas a surpresa vinha mesmo de César Amorim, que pulverizava os tempos em cada calha por onde passava. Este jovem piloto que pouco vemos a treinar, acabaria por todos surpreender com a sua rapidez e acabaria por levá-lo mesmo à vitória final nesta quarta jornada. Mas se César Amorim conseguiu desta forma surpreender, não se pense que teve vida fácil nesta caminhada até à vitória, já que o seu pai, Augusto Amorim e Rui Mota, acabariam respectivamente nas segunda e terceiras posições, com o mesmo número de voltas e com a diferença a fazer-se apenas por metros.
 A menos de uma volta do terceiro classificado, viria a posicionar-se na quarta posição Carlos Afonso, que por sua vez veria a pouco mais de uma volta Marco Silva. Paulo Mendes seguia-se a este último com uma diferença inferior a uma volta que por sua vez via atrás de si David Fernandes com o diferencial a fazer-se novamente por metros apenas.
 Ricardo Ferreira viria a terminar na oitava posição igualmente a menos de uma volta. O nono lugar pertenceria a David Azevedo que desta vez se via penalizado por sérios problemas no seu punho que o lavaria a inúmeros despistes. A fechar a tabela de classificação, ficaria Miguel Vigoço, penalizado sobretudo pela falta de treino neste difícil traçado.

 Mais uma prova que bem demonstra o equilíbrio geral proporcionado por estas excelentes máquinas, mas que bem demonstra igualmente a valia deste lote de pilotos carregados de adrenalina na hora da verdade.
 Pela primeira vez um modelo Audi se sobrepõe ao domínio assumido nas três primeiras jornadas pelo Mercedes, vendo-se Augusto Amorim batido pelo seu filho.
 No pódio, três pilotos que completaram a prova com o mesmo número de voltas. Brilhante...