sábado, 24 de setembro de 2016

Campeonato Grupo 5 - Segunda prova

 Foi sexta-feira última que nas instalações permanentes do GT Team Slot Clube, se levou a efeito a segunda prova do campeonato destinado aos modelos de Grupo 5, autênticas máquinas de competição.
Dada a reduzida presença de pilotos para esta prova, a opção recaíu na opção de duas mangas, uma de três pilotos e outra de quatro. Como melhor classificados no campeonato, era a Paulo Mendes, Rui Mota e Augusto Amorim que cabia abrir a contenda. Desta feita, Rui Mota optava pela troca do seu BMW M1 pelo Ford Capri, recorrendo ao empréstimo de Paulo Mendes.
Acabaria-mos por assistir a um verdadeiro recital de pilotagem por parte de Augusto Amorim e o seu Ford Capri, enquanto Paulo Mendes e Rui Mota se guerreavam pela segunda posição na manga. Contudo, algumas saídas haviam de comprometer o desempenho de Paulo Mendes, vindo Rui Mota a tirar disso partido, conquistando a apetecida segunda posição.
 Equanto isso, assistia-se a um verdadeiro festival futurista, levado a cabo pelo Francisco Matos.
 Para a segunda manga, David Azevedo e César Amorim eram quem mais prometia na guerra aos pilotos da primeira manga. Mas Vítor Lopes era o terceiro piloto a tentar entrar naquela guerra, já que o seu bonito e bem preparado M1, se encontrava capaz de poder ajudar este rápido piloto.
 Mas se Vítor Lopes se deparava com alguns problemas na afinação do punho e que viriam a comprometer um melhor desempenho, David Azevedo anulava a sua rapidez com algum exagero de  despistes. Francisco Matos acusava a falta de treino e definitivamente deixava-se ficar para trás. Mas era César Amorim que dava verdadeiramente nas vistas, com desempenhos que o poderiam ter levado à segunda posição final. Mas duas calhas finais menos conseguidas, deixá-lo-íam mesmo fora dos lugares do pódio. Uma pena, pois havia tido um notável desempenho.
Assim, Augusto Amorim levou de vencida a concorrência tendo sido secundado por Rui Mota, numa notável demonstração das potencialidades do Ford Capri, a mostrar que embora tenha sido o primeiro a chegar à competição, ainda se mantém em forma e a debater-se de igual-para-igual com as mais recentes geração.
 Paulo Mendes com o terceiro lugar final acabaria por se impôr a César Amorim, logo seguido de David Azevedo, Vítor Lopes e Francisco Matos. Nesta segunda jornada, o total de voltas subiu de 165 para 170, o que bem demonstra o soberbo andamento com que Augusto Amorim encarou a prova. De facto, notável.

 Em cima o Capri vencedor, enquanto em baixo, a expressão de Paulo Mendes parece querer dizer - Empresto um carro para ficar à minha frente?
 Os três primeiros classificados, tiveram direito à habitual fotografia para a posteridade.
Na próxima sexta-feira, venha a terceira....