terça-feira, 13 de setembro de 2016

Ford Mustang Gr.5 - Chegou o novo Sideways


 Já chegou o novo Ford Capri da Sideways...desculpem, o novo Ford Mustang.
De facto, estes dois modelos podem prestar-se a alguma confusão.

 O Ford Mustang de Grupo 5 nasceu para tentar atingir nos campeonatos Norte Americanos, o mesmo sucesso que esta marca tinha conseguido na Europa sob o mesmo símbolo da oval azul. A filial norte americana no velho continente, através do modelo Capri, tinha atingido um notável êxito. Assim sendo, nada melhor do que se servirem daquele projecto para tentar conquistar semelhantes resultados, mas cobrindo toda aquela estrutura mecânica duma vestimenta mais condizente com os interesses comerciais americanos.
E nascia assim um "Capri Mustanguizado". Se a estrutura tubular e os órgãos mecânicos eram repartidos, a carroçaria era no entanto outra, servindo assim interesses comerciais, ainda que os princípios aerodinâmicos se tivessem também mantido. Daí, a enorme semelhança conseguida entre o americano Mustang e o seu primo europeu.
 Uma frente mais arredondada e um lábio de linhas mais rectilíneas que contrastam com uma frente mais angulada e um lábio mais arredondado do Ford Capri, acabam por não esconder toda uma mesma tendência de motor à frente e uma secção frontal esticada, complementadas com guarda-lamas substancialmente alargados.
As suas traseiras aparentam-se bem mais ainda do que as frentes, sendo talvez a estrutura dos vidros laterais a que mais se faz distinguir entre ambos.

E a semelhança entre ambos é de tal maneira notável, que o próprio chassis que a Sideways desenvolveu para o Ford Capri, serve os mesmos intentos no Ford Mustang, o que é o mesmo que dizer, que esse chassis, sem qulquer modificação, serve os dois modelos.
 A imagem de cima mostra o chassis do Capri e a de baixo, o do Mustang, mas como se pode observar, surge em ambos o registo de "Capri Zakspeed Gr.5"
E afinal, que diferenças os poderão marcar?
Comecemos por analisá-las.
 Levados à balança, a primeira constactação é de que a nova arma da Sideways se encontra mais pesada. 1,5gr é o que penaliza o novo Mustang, relativamente ao seu irmão mais velho.

 Separadas as carroçarias dos chassis e levadas novamente à balança, o registo inverteu-se, com, ainda que mínima, vantagem de 0,5gr para o Mustang.
 Mas então, se os chassis são iguais, onde estará a diferença?
 No registo dos chassis, confirma-se que a nova máquina se encontra munida de um órgão mecânico penalizador em 1,9gr.

 E é no novo berço do motor que se encontra a resposta. Em cima pode observar-se o comum berço que equipa os modelos Sideways desde a sua primeira edição. Em baixo, o novo berço.
Mais envolvente em relação ao motor, com paredes laterais mais elevadas, contempla ainda novas palhetas que permitem um melhor ajuste deste à bancada, tanto do lado do pinhão, como do lado oposto.
Em termos práticos, talvez a perda de vibrações assim  conseguida, compense o acréscimo de gramas com que se apresenta. Algo que talvez nunca venhamos a constactar, já que a opção de equipar estes chassis com bancadas Slot.It e para os quais se encontram preparados, se tem mostrado como a solução mais sensata quando se trata de tomar o melhor partido destes modelos.
Será que teremos agora argumentos para conseguir perceber que perante tanta igualdade entre ambos, algum conseguirá sobressair?
É difícil, mas haverá pormenores sobre os quais poderemos ponderar, sendo que todas elas apenas teóricas. Ao nível de cotas na parte mecânica e uma vez que repartem o mesmo chassis, a vantagem não recairá sobre nenhum, sendo nula.
E se houver algum factor a marcar a diferença entre ambos, será pois a carroçaria a definir essa fronteira. E pensamos que estará sobretudo na distribuição de pesos, o busílis da questão. Mas trata-se de algo que nos é impossível da avaliar, tal a semelhança entre ambos. Por onde começar então?
Ligeiramente mais comprido e com a diferença a registar-se sobretudo na secção frontal, poderá ser um dos pontos a favôr do Mustang. Isto porque o Capri regista uma ligeira tendência para levantar a frente aquando das bruscas acelerações e após se conseguir que tenha uma tracção perfeita, algo que é um dos pontos fortes deste modelo. Se o Mustang, à custa deste ganho de comprimento registar o acréscimo de gramas nesta secção, pode ter visto anulada essa tendência do Ford Capri, com consequente vantagem a pender para o seu lado.


 Apesar de muito ligeiramente mais alto, o novo aileron do Mustang mostra-se também mais estreito, acontecendo o mesmo com as extremidades finais dos alargamentos dos guarda-lama traseiros. Poderá isto dizer, que existe uma maior concentração de massa desta carroçaria na zona central da mesma, o que causará o consequente aumento de tracção. Se por um lado será vantajoso, por outro, poderá resultar num problema similar ao do Mustang, com a crónica tendência para levantar a frente à saída das curvas.
A frente do Mustang com extremidades mais largas, poderá beneficiar no limite, um apoio mais eficaz em curva.
Mas tudo isto são teorias que poderão caír por terra, aquando da sua passagem para a competição pura, no entanto, parece-nos que poderá vir a tornar-se ligeiramente superior, quanto mais não seja, a começar pelo próprio peso.
Mas poderá este Mustang colher benefícios da nova arquitectura pela qual a Sideways optou na sua construção. Dotado de guarda-lama frontais independentes da restante estrutura da carroçaria, poderá conferir-lhe alguma vantagem pelo real aumento de flexibilidade de que se encontra dotado. Este poderá vir a tornar-se no mais marcante aspecto distintivo entre ambos, mas apenas a prática o confirmará.
Curiosa é a opção que tomaram para a reprodução do aileron. Poderá ter acontecido apenas, para que esta coubesse dentro da embalagem comum deste fabricante, visto tratar-se de uma carroçaria que se encontra nos seus limites. Mas poderá vir aí mais qualquer coisa. Quem sabe se na maga não está por exemplo a sua reprodução em lexan? Se isso acontecer, o Capri esqueça....