domingo, 4 de junho de 2017

Campeonato Grupo 5 - Fecho de campeonato

 Deu-se por findo o Campeonato Slot Car Grupo 5 organizado pelo GT Team Slot Clube e que tem decorrido nas suas instalações permanentes, mas destinada sobretudo aos modelos BMW M1 do fabricante Scaleauto, pois foram estes a escolha para uma futura resistência a decorrer na cidade berço. Mas houve também quem os tivesse preterido, por troca numa participação cujo modelo fosse mais do seu agrado. Foram os casos de Nuno Mendo e Rui Mota, que não descuraram a existência do Porsche 935/78 "Moby Dick", para com eles preencherem o seu ego Porschista.
 R
 Mas o o parque fechado encontrava-se recheado com as belas e poderosas máquinas germânicas oriundas da BMW e que no fundo acabariam por ser a essência deste campeonato.


 Entre os concorrentes, podémos contar uma vez mais com a sempre agradável presença desse extraordinário piloto que é Diogo Matos.
 Depois de mais uma prova extraordináriamente bem disputada, seria Luís Azevedo a impor-se a David Azevedo, vindo a terceira posição a caber a Diogo Matos, o que bem demonstra o seu real valôr, dado o seu menor conhecimento deste traçado.
O mais penalizado acabaria por ser Augusto Amorim, já que a sua quarta posição final não acabaria por lhe valer de nada, dada a sua desclassificação no final. O seu M1 acabou por perder num impacto a pilha de alimentação do kit de luzes, acabando a sua carroçaria por apresentar no final um peso não conforme o estipulado pelo regulamento.
Acabaria no entanto Rui Mota por surpreender ao completar a mesma na quinta posição, já que os Porsche 935/78 são manifestamente menos competitivos do que os BMW M1 presentes.
De Carlos Afonso e de David Fernandes esperava-se algo mais, mas uma prova a decorrer com alguns sobressaltos, viria por impôr inesperados resultados.
Nuno Aguilar surpreendia, pois apesar da sua oitava posição, muito fruto da falta de ritmo com que entrou na prova, acabaria muito perto de Carlos Afonso e David Fernandes.
Nuno Mendo por seu lado, via-se fortemente atrapalhado com um Porsche incapaz de corresponder em termos de comportamento à extrema potência que demonstrava em pista, daí resultando um excesso de despistes que o afundariam na classificação.
Também Francisco Matos, um piloto que pouco tem rodado, acabaria por impôr um ritmo abaixo do da concorrência.
Eugénio Veiga fecharia a tabela de classificação, tendo demonstrado alguma dificuldade em se entender com a sua bela máquina.

 O pódio dos modelos completava-se com os BMW M1 do fabricante espanhol, Scaleauto.
 E a restante armada acabaria por vêr à cabeça, um Porsche "Moby Dick".

E já no fim da prova, o grupo jurássico deste clube reunia-se na tentativa de umas poses fotográficas para a eternidade.

 No pódio dos pilotos, era Luís Azevedo que se consagrava, ladeado por David Azevedo e Diogo Matos.
Mas acabaria por ser David Azevedo a consagrar-se como o campeão do Grupo 5, relegando Luís Azevedo, o grande campeão deste clube, para a segunda posição. O terceiro degrau acabaria por ser conquistado por Augusto Amorim.