terça-feira, 28 de novembro de 2017

Lola B12/80 e comparativo

 Chegou já ao mercado a última versão editada pela Slot.It, referente ao Lola da categoria LMP. Trata-se de uma versão inscrita na edição de Le Mans em 2012 pela Lotus e com a bonita combinação de côres a preto e dourado. Se por um lado se trata de uma decoração bonita, por outro percebemos o quanto poderá ser desagradável acompanhar um destes modelos em pista, já que a predominância do negro será a pior das apostas.
 
 Quando comparado com as anteriores edições desta versão, torna-ser claro quer as grandes diferenças se situam na secção frontal, onde se perderam as extremidades afiadas para surgirem guarda-lamas arredondados e ópticas de maiores dimensões e também elas a acompanhar as formas arredondadas ali existentes. Uma deriva vertical no capôt traseiro também o distingue, bem como as aberturas que surgem superiormente em cada um dos quatro guarda-lamas e que fazem parte de uma obrigação regulamentar.
 Mais imperceptíveis serão alguns pormenores que marcam esta versão, como é por exemplo o caso do prolongamento dos pontões dos guarda-lama frontais.

 Apesar duma similar aparência, é um facto de que estamos perante duas distintas versões, num dos mais eficazes modelos da categoria LMP até agora editados.
E como será então este novo LMP, quando comparado com os seus antecessores?
Partamos do modelo sob as côres da Dayson Racing", a versão verde, já que as bonitas versões da "Rebellion" se viram prejudicados em termos de peso, por culpa de uma complexa decoração que obrigou a que estas carroçarias se vissem penalizados em cerca de 0,9gr quando comparados com a versão verde. Assim, observemos as versões da "Dyson" e da "Lotus, para tentar perceber se poderão haver diferenças dinâmicas entre eles.
 A nova carroçaria mostra-se ligeiramente mais comprida, fruto da revisão da secção frontal.

 A parte correspondente ao habitáculo foi totalmente revista, resultando nalgum emagrecimento, mas sobretudo numa optimização das formas para que este órgão interferisse o menos possível com a parte mecânica, isto é, fios eléctricos, berço do motor e do motor própriamente dito.
 Este trabalho permitiu que, apesar do surgimento da nova deriva traseira, o novo Lola se mostre mais ligeiro 0,3gr.
Mas o chassis foi o acessório que acabou por promover as alterações de maiopr relevo, pois é dele que dependem os maiores êxitos dinâmicos.
 Este novo chassis acabaria por sofrer alguma revisão ao nível de alguns reforços, mas foi ao nível do suporte do patilhão, que este foi verdadeiramente revolucionado.
Sendo este suporte o ponto crítico destes chassis, sofrendo rupturas com alguma facilidade, mostrava-se premente uma nova solução.
 Assim, a Slot.It proporciona-nos agora um suporte com dupla vantagem, já que sendo mais estreito na zona do suporte da retaguarda, permite que os fios que se ligam ao patilhão fiquem mais livres para permitir um melhor desempenho do próprio patilhão e agora, apesar dum aparente mais frágil suporte, este encontra-se substancialmente mais reforçado, o que diminuirá as probabilidades de quebra desse suporte.
Mas curiosamente, este novo chassis apresenta um acréscimo de peso da ordem das 2,6gr.
Como nota final, o excesso de peso geral nesta nova versão, acaba por se centrar abaixo da linha da carroçaria, o que aliado aos reforços do chassis e que constituíam o ponto fraco deste modelo, poderemos adiantar que não há dúvidas quanto aos progressos desta nova máquina, apesar de ser possível em termos dinâmicos, não se fazerem notar grandes melhorias no cronómetro, mas só a prática o poderá comprovar.