segunda-feira, 14 de julho de 2014

24 Horas Slot Trofa - GT Team arrebata vitória no último minuto



 Ao cabo de 24 horas, 20 segundos foi o que separou a forte equipa espanhola Cric-Crac, do vitorioso team bracaranse, GT Team.
Foi este fim-de-semana que decorreu mais uma edição maratona levada a cabo pela excelente organização do Clube Slotcar da Trofa e que tem em Rúben Almeida a força motora de toda esta engrenagem. Mais uma excelente festa de convívio que habitualmente reúne praticantes de norte a sul do país e onde não faltou este ano uma forte representação de equipas da vizinha Espanha. Amantes do desporto automóvel em geral, nuestros hermanos não deixam por mãos alheias os automóveis, ainda que numa escala mais reduzida. São tidos como uma força mundial dentro deste panorama, onde a formação da Cric-Crac conta com um nível de pilotos de nível fora-de-série. E uma vez mais o provaram, a atestar pela sua presença na maioria do tempo, aos comandos desta prova.
No entanto, esta formação tinha em duas equipas portuguesas os seus maiores adversário. Uma encontrava-se representada pela própria organização da prova e outra, era a não menos forte e vencedora das duas anteriores edições, o GT Team Slot Clube. Estes últimos, têm vindo progressivamente a encontrar um lugar no panorama internacional, sendo já vistos em qualquer prova europeia, como uma séria ameaça aos lugares mais apetecidos das tabelas de classificação. Em Portugal, o seu estatuto não precisa já de qualquer argumento.

 Mas para a posteridade ficará este resultado e a forma como o mesmo foi conseguido. Clube Slotcar da Trofa, GT Team Slot Clube e Cric-Crac, depressa se mostraram como os únicos capazes de potenciar os seus esforços no sentido de atingir o êxito maior. Estas três formações mostraram um certo equilíbrio entre elas, mas sempre com preponderância para o êxito por parte do GT Team e Cric-Crac, mas sempre com os homens da casa a uma distância que lhes permitia tirar  partido de algum deslize dos seus adversários. E assim acabou por acontecer, já que o BMW V12 LMR dos bracarenses, acabaria inexplicávelmente por perder uma das suas suspensões, vendo-se obrigados a recolher às boxes para regularizar o bom comportamento que o seu modelo até ali havia tido. Mas com isso e naturalmente, a queda na classificação foi uma realidade. Depois disso, os seus pilotos não baixaram os braços e Luís Azevedo, Paulo Mendes, Augusto Amorim e José Pedro Marques arregaçaram as mangas e impuseram um ritmo de nervos de aço que os levou paulatinamente a uma quase inimaginável aproximação dos comandantes da prova.
Partia-se numa missão impossível e com uma desvantagem de 7 voltas para o cumprimento dos últimos 65 minutos desta maratona. Esta margem que parecendo pequena, constituía uma verdadeira muralha da China, já que o nível de andamento dos pilotos de ambas as equipas quase se confunde. Esta tarefa de conseguir ultrapassar todas as adversidades, coube a José Pedro Marques que exemplar e irrepreensivelmente se colocou no último minuto de prova, na mesma volta dos comandantes. O adversário acusou a pressão e numa tentativa de ripostar um andamento que lhes valesse a manutenção no comando, despista-se, repetindo o erro novamente na mesma volta. No final, uma volta e alguns metros, o equivalente a uma vantagem de 20 segundos, foi o que o valente piloto taipense conseguiu a seu favor e da equipa. Desta forma, o GT Team Slot Clube consegue o seu terceiro êxito consecutivo nesta já clássica prova de resistência levada a cabo no nosso território.
 Rúben Almeida no final, em discurso de agradecimento às entidades e colaboradores que lhe permitem manter de pé  esta extraordinária organização.

 O prémio de melhor decoração pertenceu a Albert Atienza Vivancos, patrão construtor dos modelos com que participamos nesta edição.

 O prémio pela conquista da Pole Position foi para o Filipe do Clube Slotcar da Trofa.

A conquista da volta mais rápida absoluta e maior número de voltas, para para o piloto espanhol da Cric-Crac, Besay Porta Vilar.

Vencedores absolutos, GT Team Slot Clube.

2º Lugar - Cric-Crac

3º Lugar - Clube Slotcar Trofa

4º - Top Racing Team

5º - Mosslot II

6º - Rias Baixas 1 

7º - ART Slot Cars

8º - AB Winprovit-SCP 

9º - SCCL

10º - SCM Sebring Slot

11º - Arrow Slot

12º - Calha a Todos

13º - Arrábida Kaizen 

14º Mosslot

15º - CAT Racing 

16º - Calha Premium

17º -  Slotcars.PT

18º - Rias Baixas 2

19º - Slot RF

20º - Top Slot

 Para além das lutas pela melhor posição possível, ficam as guerras de excelente convívio. Tugas e espanhóis, lisboetas e tripeiros, vimaranenses e algarvios, tudo em excelente ambiente de sã camaradagem, é o que de melhor vai ficando e crescendo entre esta malta que curte verdadeiramente um mini-desporto em que gostaríamos de ver mais malta de tenra idade.
 Ficam então aqui algumas imagens que atestam isso mesmo.



 Em cima, os vencedores desta jornada misturados com os membros da segunda equipa do mesmo clube, a ART Slotcars.





























 Aqui fica gravado um dos bons momentos de convívio, com a tentativa de agressão de Miguel Guerreiro, ao Melo.








 Um dos homens dos automóveis verdadeiros, Abel Marques, veio ver o seu filho brilhar.
 E de noite, a pista também brilhou....


E o Luís Faria, quase capotou da cadeira onde chónou...
Atrás do Guerreiro, um tipo capotou, mesmo....

O Pedro Vieira, sempre na boa...
E esta menina não me respeitou....
Enquanto outros se concentravam nos treinos para apanhar o traçado como deve ser...

Nas pistagens, alguns quase adormeciam...


 No fim, não faltou a entrevista para a televisão local, Trofa TV. José Pedro Marques, o principal protagonista deste empolgante final, teve oportunidade de expressar os seus sentimentos relativamente ao êxtase a que esteve sujeito.
Parabéns a todos os participantes e um grande obrigado à organização.