sábado, 21 de novembro de 2015

Campeonato Todo-Terreno "One By One" - 1ª Prova

 Iniciou-se no Clube GT Team, o campeonato destinado aos modelos Todo-Terreno, estando as inscrições abertas a modelos T2 e T3, constituíndo estes últimos, uma variante da modalidade mas com chassis dotados de conceitos mais avançados e de construção muitas vezes artesanal.
 No entanto, apenas Nuno Aguilar e Rui Mota acabariam por surgir inscritos nesta categoria, enquanto o grosso do pelotão surgia inscrito na categoria T2.
A escolha das calhas para a primeira prova acabaria por ser sorteada, tendo cabido o pontapé de saída a David Azevedo, Augusto Amorim, Rui Mota e Francisco Mota Matos.

 Assistia-se também à estreia absoluta do Porsche 959 de origem Scaleauto, pelas mãos de David Fernandes. Mostrou-se fiável, mas incapaz de se guerrear mano-a-mano com os melhores T2 em presença, apesar da extrema facilidade com que este pequeno bólide conseguia abordar a totalidade dos saltos.
 A prova decorreu com a troca de pilotos a fazer-se por calhas virtuais, que é o mesmo que dizer que à saída de um piloto, outro se lhe revezava.

 Augusto Amorim apostava no seu interessante Bowler e imprimia um excelente ritmo, mas a surpresa vinha mesmo de Luís Azevedo e o seu fantástico Schlesser, um modelo da categoria T2 mas que se viria a intrometer sem grande surpresa, entre a guerra dos modelos T3. Não foi pois por acaso, o brilharete conseguido por este piloto e a sua máquina por terras de Espanha aquando das finais nacionais daquele país.
 Francisco Matos em Volkswagen Toureg ressentia-se de alguma falta de eficácia do seu modelo, o que não lhe permitia acompanhar o ritmo imposto por David Fernandes e o seu Porsche 959.

 Mas a velha guarda, ainda que as provas lhes possam correr menos bem, encontram-se sempre capazes de repartir um belo convívio.


 E enquanto Nuno Aguilar e a sua fantástica Pro-Truck se entretinha numa luta renhida a tentar acompanhar Luís Azevedo, Marco Silva não se sentia à vontade em algumas das curvas deste complicado traçado.


 Mas outra das grandes surpresas vinha da parte de César Amorim, igualmente a fazer recaír a sua aposta num Schlesser. O seu andamento era de tal modo eficaz, que acabaria mesmo por fazer perigar a posição de Augusto Amorim, tendo-se feito a diferença no final, por apenas uma volta entre ambos.
Mas Rui Mota reagia à excelência dos andamentos impostos tanto por Luís Azevedo como por Nuno Aguilar e começou a imprimir um ritmo que o levaria a bater o recorde do maior número de voltas numa calha e a estabelecer também o melhor registo de tempo numa volta, vindo a conseguir no final a vitória absoluta na prova, mas pela pequena diferença de um volta sobre Luís Azevedo.
 Nuno Aguilar situar-se-ía na terceira posição, mas já a três voltas do vencedor.
 Mas se Luís Azevedo foi a verdadeira surpresa desta primeira jornada, já que apostava numa categoria inferior, já os restantes modelos da categoria T2 se víam completamente impossibilitados de acompanhar o andamento dos primeiros, tendo sido Augusto Amorim o melhor dos outros, logo seguido do também surpreendente, César Amorim. Mas pode considerar-se igualmente uma surpresa, a classificação de David Fernandes e o seu Porsche, já que tratando-se de um modelo manifestamente inferior, viria a classificar-se no sexto lugar e não muito distante do quinto classificado.
Menos eficazes encontraram-se David Azevedo, Marco Silva e Francisco Mota Matos, já que tripularam modelos tecnicamente menos conseguidos ao nível das suas prestações, o que dificulta sempre o acompanhar da concorrência.

Pódio da classificação final absoluta.

Pódio Categoria T3

Pódio Categoria T2

 No pódio dos pilotos, Nuno Aguilar vingar-se-ìa da derrota imposta na pista, por Rui Mota.
 Mas os dois "Marretas" já ferrugentos, lá foram fazendo a festa.....

 Na Categoria T2, Luís Azevedo levaria de vencida Augusto Amorim e a grande surpresa da prova, César Amorim.
Um excelente início de campeonato, onde há já sinais de que para a próxima, irá ser mais competitivo ainda..