terça-feira, 10 de novembro de 2015

Scaleauto - Porsche 959 Paris-Dakar 1986

 Fazendo parte da sua série "Dakar Legends", a Scaleauto faz-nos chegar uma extraordinária peça de colecção, ou porque não também, extraordinária peça de competição? Isto porque, se até aqui este fabricante apostava nas resinas para as reproduções desta série, com o prejuízo do peso do modelo e do custo final, a nova aposta recai num modelo extremamente leve reproduzido em plástico e por custos muito mais acessíveis e próximos da realidade desta modalidade.
Modelo vencedor da edição desse ano na clássica maratona africana, este Porsche não corresponde no entanto à versão vencedora, já que haveria de ser o modelo com o dorsal 186 a levar de vencida a demais concorrência.
 Mas estamos aqui para uma crítica sobre o agora chegado, algo já conhecido pela sua chegada antecipada em forma de kit.
 Mas se o kit não deixava dúvidas quanto à qualidade desta peça, este que agora nos chega mostra-se completamente abrilhantado por uma decoração extraordináriamente bem conseguida, complementado por um azul "Rothmans" bastante próximo do correcto.
 No entanto algumas falhas imperdoáveis há, como o radiador traseiro situado sobre a asa, que deveria surgir a cinzento alumínio e não a branco tal como se vê nesta imagem de cima.
Outra falha que se faz notar, é o símbolo do país de origem, o "D" de Deutscheland que deveria existir do lado direito da matrícula traseira. Também a própria matrícula se mostra com exagerada dimensão. As redes existentes nas janelas de arejamento laterais traseiras, abaixo dos piscas, surgem a prateado mas na verdade deveriam ser pretas.
 Um pormenor que não me passou despercebido, foi a côr tanto do óculo traseiro como das duas janelas traseiras laterais. Embora a côr negra corresponda à realidade, a Scaleauto cometeu o erro de pintar esses elementos pela parte interior dos mesmo. A côr negra baça utilizada para tornar opacos esses elementos e que corresponde à realidade, perdeu-se, uma vez que pela parte exterior os vidros proporcionam um preto brilhante.
 Mas também a janela lateral traseira, deveria contemplar um bocal de combustível, mas por cima das letras da palavra "Shell", surge apenas a sua representação em tampografia.
As duas cúpulas acolhedoras dos pilotos existentes na capota surgem a prateado, mas estes elementos são na verdade, brancos. E os dois pilotos existentes no canto da frente direito, estão aqui no mini-modelo a vermelho, mas na verdade deveriam ser azuis.
Ficaram esquecidos os ganchos de reboque, tanto à frente como atrás, bem como lamentávelmente, a simulação da abertura dos vidros, tanto do condutor como do pendura.

 Mas foram três os representantes da marca a participar naquela edição do Dakar, o que nos levará a suspeitar de que mais tarde ou mais cedo, a Scaleauto nos fará chegar as restantes versões, entre os quais o mais desejado vencedor absoluto da prova.
 As palas que surgem nestes modelos à escala 1/43 e situadas antes das rodas traseiras, não foram contempladas na versão de slot. Percebe-se que aqui a dificuldade se prendeu com a existência da cremalheira, o que inviabilizou uma solução para as sustentar.
 Radiador prateado e a existência do "D" ao lado da matrícula, alguns pormenores que teriam beneficiado este extraordinário modelo germânico.
Mas e agora, para quando os outros Scaleauto?