segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Campeonato Grupo C - Quarta prova

 Decorreu nas instalações do GT Team Slot Clube, a quarta prova destinada aos modelos de Grupo C, verdadeiras máquinas no campo da velocidade
 Foram onze os pilotos em presença e que apostavam maioritáriamente no modelo da Porsche, embora o Toyota acabasse por ter sido a escolha por parte de três pilotos. Outros dois optavam pelo Lancia LC2 e apenas um, escolhia o mais recente da linhagem Slot.It, o Nissan R89C.
 E esta foi uma prova onde se assistiu a excelentes desempenhos, que deixaram no ar a incerteza do vencedor, até ao final.

O vimaranense Carlos Afonso, foi uma das agradáveis surpresas, acabando para o final da prova por hipotecar através de alguns erros, uma honrosa classificação. Amilcar Monteiro conseguiu também registos que denotam uma substancial subida de forma.
 Mas era Augusto Amorim um dos azarados da jornada. Com sérios problemas no seu punho, rápidamente se via fora da luta pelas melhores posições, mas ainda assim e com um final fulgurante, viria a ocupar uma posição no pódio.

 César Amorim foi outro dos pilotos que mostrou rapidez extrema, mas um final algo desastroso não lhe permitia ir além da quinta posição, ainda que com o mesmo número de voltas de Marco Silva, também este a mostrar excelente desempenho.
 Mas era José Pedro Vieira, o azarado da jornada. Consecutivos problemas com os fios das palhetas, atiraram-nos irremediavelmente para o fim da tabela de classificação. Mais apagado do que é habitual, esteve David Fernandes, apresentando-se nesta jornada com um pouco competitivo Porsche, que não lhe permitia veleidades. O seu oitavo lugar, diria, é mesmo incomum para o que já nos habituou.

 O nosso amigo "Jana", honrou-nos com a sua presença. Pode ser que venha ainda a dar as suas gatilhadas.
 Enquanto isso, Vítor Lopes aproveitava o fio do seu punho para tentar uns inaudíveis acordes de guitarra. Mas na prova, um Lancia pouco competitivo, não lhe permitiam também uma posição de relevo, tendo-se ficado pela nona posição.

 Luís Azevedo mostrou o seu habitual nível competitivo e esteve na luta pela primeira posição, mas um inspirado e intratável David Azevedo, impunha um diabólico ritmo que o levaria à glória final. De facto, este piloto que vinha de uma vitória nas terras de D. Afonso Henriques, denotou um notável andamento ao alcance de muito poucos e repetia um glorioso resultado.

 Nuno Aguilar, um piloto que pouco treina, sentia algumas dificuldades em entender-se com o seu Toyota e viria no final a ficar na sétima posição.

Resultado Final

Pódio dos modelos, onde o único Nissan se impôs pela primeira vez aos modelos germânicos.


 Pódio de pilotos, onde David Azevedo conseguiu o mais difícil, bater Luís Azevedo e Augusto Amorim.

Pódio dos pilotos "Ouro"

Pódio dos pilotos "Prata".

Pódio dos pilotos "Bronze".
Uma jornada mais chegada ao fim e onde porventura se terá assistido ao maior número de pilotos capazes de lutar pela vitória.