sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Lotus 72 Policar - Primeiro contacto

 Chegado ao mercado, o Lotus 72 da Policar é naturalmente objecto de curiosidade por parte dos apaixonados pelos slot cars. E este, marca muito provávelmente o início de uma nova era. Será talvez, o pontapé de saída para o regresso dos campeonatos destinados aos modelos de Formula 1, ainda que relativo a modelos clássicos. É que na forja, consta já o March 701, ao que se seguirão outros militantes da décado de 70.
 E num primeiro olhar distraído, este Lotus cativa de imediato, por tomar o lugar de quase uma pequena jóia., mas num olhar mais atento, demonstra que a qualidade dos moldes continua a desagradar. No entanto, a simulação do motor Ford encontra-se brilhante, bem como alguns dos pormenores relacionados com as suspensões e colectores de escape. Requinte, é de facto coisa que não falta.
 E tem-se logo vontade de pegar  nesta réplica do piloto campeão do mundo, a título póstumo. Já com ele nas mãos, não se resiste a fazer rodar o eixo traseiro, pois reside aí uma das grandes inovações trazidas até nós pela Policar, através da ciência Slot.It. E é notável o quanto macio é o rolamento deste conjunto que se apoia numa engrenagem com mais pinhões e cremalheiras, do que é normal.
Interessante é também a possibilidade da montagem de suspensões, num berço de concepção absolutamente incomum, apesar do mesmo princípio básico.
 Mas surpreendente mesmo, é o minúsculo motor de que se faz equipar. De formato compacto, assemelha-se aos comuns motores boxer, mas a Slot.It viu-se obrigada a apostar num motor de reduzidas dimensões, para conseguir que este pequeno Lotus 72 não ficasse fora de escala, reproduzindo-se ao mesmo tempo, a simulação de todos os componentes mecânicos que o constituíam. De facto, absolutamente notável o trabalho deste fabricante.
No entanto, a frente tem dificuldade em assentar, sobretudo com as palhetas de origem. O eixo da frente parece vir a tornar-se no calcanhar de Aquiles deste modelo, já que não gira livremente, denotando extrema prisão. Provávelmente, para que tudo funcione, haverá que desmontar todo o conjunto frontal para se recorrer a algum trabalho de limas. Depois, haverá necessidade dos primeiros testes em pista, pois os levados a cabo pelo fabricante, parece que prometeram....