quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Uma análise despreocupada a uma das mais recentes criações do slot

A recente resistência levada a cabo pelo GT Team Slot Clube e levada a cabo apoiada nos novos modelos da Policar, os novos Lotus 72, num renascer dos F1 à modalidade, serviu também de teste a um produto que traz novas soluções e quiçá, uma nova realidade tanto ao mundo dos coleccionadores, mas também dos competidores.
 Este primeiro modelo escolhido pela Policar, transporta-nos ao mundo de gloriosos campeões e onde o desempenho daqueles bólides dependia quase em exclusivo dos seus verdadeiros dotes de condução. Muitos foram aqueles que ao volante destas máquinas acabariam por perder a vida, como foi o caso de Jochen Rindt, que acabaria ainda assim por se sagrar Campeão do Mundo de Formula 1 a título póstomo e que este fabricante dentro em breve lhe fará jus, trazendo até nós a réplica do modelo desse fatídico acidente, ocorrido no GP de Itália.
 Este Lotus 72 desprovido de qualquer apêndice aerodinâmico, foi o carro que viria a ceifar a vida a Jochen Rindt. Em baixo, a sua réplica que nos chegará no início do próximo ano.
Mas foi a prova ocorrida com estes modelos de aparente fragilidade, que nos levou a tecer algumas considerações e uma análise sobre a valia de um modelo que nos assusta, apenas pela observação da pequena motorização que o equipa. Trata-se de um micro-motor de caixa fechada, que nos desperta natural desconfiança, pois duvidamos imediatamente tanto da sua capacidade velocista, como da sua capacidade de travagem.
 Mas a sua carroçaria, dotada de numero considerável de acessórios plásticos, sobretudo na traseira com complementos de simulação mecânica misturados com outros de suspensão, leva-nos também a crer que todo o seu conjunto se desintegre ao primeiro impacto.
Mas a leveza total do conjunto, é benéfica no que concerne a estragos, aquando dos despistes e mesmo dos naturais impactos ocorridos nos acidentes mais fortes. E a verdade é que, tirando um violentíssimo acidente ocorrido mesmo ao iniciar-se a prova e em que um deles saíu da pista e foi mesmo embater na parede vindo a imobilizar-se no chão, e em que resultou apenas a quebra do aileron, em mais nenhum se registaram quebras ou estragos que se fizessem notar.
 Estes F1 encontram-se equipados com berço de motor independente e que lhes permite, uma vez que para isso se encontram preparados, receber suspensões tanto atrás como lateralmente. Mas estes correram desprovidos dessa evolução e mesmo assim a surpresa foi total e generalizada. Um comportamento absolutamente são, um motor que não surpreende pela rapidez mas que também não desilude e uma capacidade de travagem perfeitamente aceitável, deixaram todos agradados e até surpreendidos. O comportamento em curva é notável e deixa-nos a pensar, como serão estes modelos quando afinados ao pormenor e dotados de suspensões.
O patilhão encontra-se preparado com parafusos allen como forma de fixação dos fios do motor. Esta opção, ainda que possa parecer razoável, tem tendência para fazer quebrar os fios com mais frequência.  
Mas é no conjunto das engrenagens que se encontra a grande ciência destes modelos, mas era também aqui que se centrava a nossa maior desconfiança. Estaria este complexo sistema capaz de responder às exigências que lhe solicitaríamos?
Na verdade, nem o mais pequeno sinal de cedência ou fadiga. Este conjunto funcionou em pleno na totalidade dos modelos. Parabéns pois à Slot.It, a marca que se encontra por trás deste projecto encapuçado pelo nome Policar, por tão exemplar sistema aqui aplicado. E a totalidade dos F1 que aí virão, trarão este complexo sistema pois consegue o fabricante assim, reduzir a dimensão das cremalheiras, o que obrigava sempre à deformação da simulação dos motores dos F1.
 Como conclusão, poderemos referir que o aspecto menos positivo se centre nas rodas de plástico e de colocação por pressão. Mas este aspecto é também fácil de resolver, já que a totalidade dos campeonatos recorre a material de aperto e consequentemente, também estes, se servirão com toda a naturalidade de jantes calibradas e de aperto.
Parabéns Policar, por tão surpreendente modelo e por nos trazer de volta os saudosos F1.