domingo, 11 de março de 2018

Penúltima jornada Campeonato GT Open - Mais uma para Augusto Amorim

 A penúltima jornada do Campeonato GT Open levado a cabo pelo Clube Slot do Minho, viu uma vez mais Augusto Amorim e o seu Saleen a imporem-se à restante armada de adversários, numa jornada pautada pela continuidade da presença de alguns pilotos a consolidarem a aprendizagem na modalidade.
 Com dezoito presenças e em que a variedade de modelos continua a ser uma mais valia, a verdade é que parece termos que continuar a contar com a supremacia do velhinho Saleen, já que mesmo com a aposta de Paulo Mendes no Ferrari da Black Arrow, parece continuar a não haver argumentos que combatam o modelo da Arrow Slot.
 Acabaria mesmo por ser com alguma folga que Augusto Amorim averbava mais uma vitória no campeonato, impondo-se novamente a Paulo Mendes, enquanto finalmente David Azevedo acabaria por conseguir um lugar no pódio ao conseguir a terceira posição final, impondo-se ao também sempre rápido David Fernandes.
 Mais abaixo a luta gerava-se entre Marco Silva e Rui Mota, sendo a vantagem favorável ao primeiro pela diferença de 0,3 segundos, o que bem demonstra a animosidade gerada na disputa pela quinta posição. O sétimo lugar era disputado por José Pedro Vieira, Miguel Carvalho e Nuno Mendo com a classificação final a manter esta ordem, registando-se a diferença de uma volta entre cada um deles, mas bem demonstrativo do equilíbrio de forças que vai acontecendo neste disputadíssimo campeonato.
 Filipe Vinagreiro viria a finalizar no décimo posto mas com o mesmo número de voltas de Francisco Matos, em mais uma luta de deixar os nervos em franja. Impuseram-se estes a Eugénio Veiga e Luís Pinto, também eles numa animada luta em que o primeiro acabaria por levar a melhor sobre o seu adversário, por uma volta de vantagem.
Ricardo Moura seguia-se-lhes na décima quarta posição, mas demonstrando uma melhor adaptação a um traçado que lhe é estranho. Um pouco abaixo das expectativas ficava Marco Freire, que acabaria por não ir além do décimo quinto lugar.
 Jonathan Barbosa seguia-se na classificação final, onde o mesmo número de voltas conseguido belo nosso benjamim, João Preto, comprova que nesta modalidade a diferença de idades não tem qualquer importância. Afinal, dois aprendizes a dar o melhor de si e onde se percebe uma verdadeira adaptação evolutiva de ambos.
 Eduardo Leite, outro iniciado na modalidade, acabaria por ser vítima não da sua falta de prática, mas sobretudo da falta de adaptação aos inúmeros punhos que lhe têm passado pelas mãos. E enquanto esta questão não tiver fim à vista, cremos que a evolução deste piloto terá um período de aprendizagem mais prolongado do que seria desejável, já que se percebe notóriamente, verdadeiro potencial da parte deste novato.

 Em termos de fabricantes, fica claro que Arrow Slot e Black Arrow serão as melhores apostas, mas percebe-se que há características dinâmicas de relevo, sobretudo por parte do modelo Corvette da Scaleauto. Depois disso, parecem encontrar-se as produções da Sideways.
Em termos de campeonato e caso tudo corra dentro da normalidade, parece que temos mais um título entregue a Augusto Amorim, enquanto Paulo Mendes se terá sentido desta vez, completamente impotente para contrariar esta veia ganhadora do seu mais directo adversário, mas como já ouvi alguém dizer, "prognósticos só no fim do jogo"....