sexta-feira, 29 de julho de 2016

Alfa Romeo 155 V6 Ti DTM - Slot.It - já andou


 Uma das últimas criações de origem Slot.It, é o Alfa Romeo 155 com que a marca alinhou no campeonato DTM na Alemanha, no ano de 1993. Tratando-se de uma nova aventura por parte deste fabricante italiano de slot cars, trata-se então de algo que a todos nós suscita imensa curiosidade. Por mares nunca antes navegados, esta novidade promete na mesma, porque a Slot.It já nos ensinou que tudo o que faz, sabe fazê-lo.
E nada como começar por abrir o modelo e perceber do que se trata afinal, verdadeiramente. A equipá-lo está uma nova motorização de caixa pequena, montado numa também nova bancada de motor, para posição inline. Quanto ao resto, nada mais que constitua novidade.
 A primeira operação a ter em conta, é a remoção do íman, pois para a competição, este simplesmente exclui-se. Também os pneus são retirados. No seu lugar, aposta-se para a frente em capas de muito baixo perfil, enquanto atrás a escolha recai nos Scaleauto/Spirit.
 O motor é uma incógnita, mas o fabricante anuncia para este novo MX15 V12/4 de cabeça negra, 21.000rpm e 150g*cm. Anteriormente e na sua série de modelos clássicos, era no MX06 de cabeça laranja que recaía a opção, um motor algo melhor e que atingia as 21.500rpm e 170g*cm, igualmente a 12V.
 É também novidade o berço de motor, que perde a barbatana lateral existente em todas as outras bancadas para motor em posição inline. Agora, apresenta-se com as suas laterais rectilíneas na longitudinal e em toda a sua extensão..
 Os fios continuam a ser fixos no patilhão, através de parafusos allen. Embora não o tenha feito, aconselha-se a substituí-los pelo mais convencional sistema, uma vez que desta forma a possibilidade de quebra dos fios, aumenta substancialmente.

 A carroçaria foi pensada para pesar o menos possível e olhando-se pela parte interior, percebe-se isso mesmo.
 E esta acaba por registar as 19,0g.
 Feitas as pretendidas alterações e lubrificado todo o sistema mecânico, é tempo de se pensar nas primeiras sensações que este novo Alfa nos poderá dar.



 Depois de montado, é tempo de o devotar ao seu natural elemento.

 Uma vez mais, é a pista do GT Team Slot Clube que serve de palco para mais uma avaliação de uma novidade chegada ao mundo dos slot cars.
A primeira sensação que se tem, é de que a sua motorização é de facto fraca. À medida que se vai rolando, tanto o motor se começa a soltar, como os pneus vão acamando e perdendo a goma inicial o que provoca um aumento de aderência e agradabilidade de comportamento. Sobressai no entanto, a constactação de que o seu comportamento é bastante são, ao ponto de ter começado a pensar que este novo Alfa, não saía. Um turno completo e 10 minutos em condução contínua e daí não resultara qualquer despiste. O melhor registo, não sendo de espantar ninguém, era contudo prometedor.
 21 voltas  e um tempo de 12,84", foi o resultado da primeira passagem deste novíssimo Alfa, pelos plásticos de slot.
Numa segunda tentativa, o registo baixou para os 12,81", mas começa a perceber-se os seus limites, quando surgem as primeiras saídas. Com uma frente extremamente segura, o seu limite acontece sobretudo devido a uma carroçaria com alguma altura, relativamente a uma largura que poderemos considerar estreita, quando comparada com modelos GT ou Grupo C. Quando a curvar no limite, a sua tendência é mesmo para levantar e dar a cambalhota. Mas é algo que acaba por se tornar perceptível, o que nos permite sempre jogar um pouco à defesa, quando chegados ao seu limite. Percebe-se também agora, porque terá a Slot.It introdzido um motor menos performante. Assim, com um modelo mais dócil, acaba a competição por tornar-se mais apetecível ao menos dotados em termos competitivos.
 Conseguiu-se ainda baixar mais umas centésimas, depois de alguma aplicação no gatilho. No entanto, para que se consiga melhor substancialmente, obrigará a algo mais sério que terá de ser feito. Algum trabalho de emagrecimento, recorrendo-se a eixos ôcos ou de carbono, em melhor estudo da relação pinhão/cremalheira e algumas afinações de pormenor, são aspectos a tomar em consideração, para a sua melhoria.
Fica a certeza de que estamos perante uma surpreendente base de trabalho, que poderá certamente dar algo mais surpreendente ainda.
E como incógnita, ficará com o se comportará esta máquina quando dotado da prevista revolucionária tracção integral. Pode ser que um dia a experimentemos.