sexta-feira, 8 de abril de 2011

Coleccionismo e suas loucuras - Brooklin

 Brooklin, um nome, uma referência.
Este fabricante de modelos estáticos à escala 1/43 nascido em 1974 no Canadá e que ainda hoje faz gala em manter os princípios básicos que marcaram a sua origem, é hoje uma das mais valiosas colecções a que os apaixonados pelo mundo automóvel, se podem dedicar.
Encontra-se hoje a Brooklin sediado em Inglaterra, onde continua uma apaixonante cruzada pelo mundo automóvel americano. Como matéria prima para os seus modelos, encontramos o zamak e as técnicas aplicadas na sua produção, são as mais básicas possíveis.
 A sua transferência de continente, proporcionou uma das mais interessantes vertententes do coleccionismo em geral e da Brooklin em particular, por definir uma significativa valorização entre modelos construídos no Canadá ou em Inglaterra. De linhas muito rudimentares  na sua origem, numa segunda fase definida pela sua vertente europeia, alguns dos modelos continuaram em linha de produção, mas arrastando consigo melhoramentos, ainda que nalguns casos bem insignificantes, mas noutros, com alguma valência estrutural.
 O Pierce Arrow Silver Arrow que acima se mostra, a primeira referência oficial deste fabricante, BRK 1 é um desses exemplos. Um, de construção "Made in Canadá" e o outro "Made in England". O primeiro surge sem vidros, interior espartano quanto baste, isenção de oculo traseiro, chassis plano, falta de matrícula, pára-choques de qualidade inferior, desenho da representação dos farois, ........

Quando comparados estes modelos com o que hoje em dia se produz, podemos mesmo ficar mal impressionados com a falta de qualidade geral apresentada. Mas a manutenção da filisofia de construção que se mantém e de que este fabricante faz gala em manter, por incrível que nos possa parecer, acaba mesmo por ser a verdadeira alma, essência e paixão que nos marca enquanto fieis seguidores e coleccionadores Brooklin.
Nota-se em cada modelo a evolução dos anos, mas continua-se a aposta no mesmo pesado e extremamente frágil zamac, enquanto a representação dos faróis se vai fazendo também ainda através da sua simulação em metal branco. Hoje começa já a ser frequente, vermos a representação das escovas limpa-pára-brisas também em metal branco acoplado posteriormente aos modelos, mas essa representação fazia inicialmente parte do próprio molde da carroçaria.

 O seu 25º aniversário foi comemorado com a edição de um Pierce Arrow 1601 Sedan numa edição de 1425 exemplares, complementado um uma bonita roulote. Os seus acessórios foram agora representados em metal dourado, o que proporciona um visual mais requintado.

 Para o 30º aniversário, três modelos foram editados, cada um deles numa edição de 999 exemplares e em embalagem individual fazendo-se cada um deles acompanhar de uma placa em metal branco indicativa do acontecimento.

Mas as referências correntes são embaladas em caixas de cartão, que consoante a cor são também indicativas da sua antiguidade. Poderemos então observar também aqui, mais um exemplo de diferenças pertencentes ao Chrysler Air Flow, sendo o modelo branco e caixa prateada oriunda do Canadá e o azul e caixa creme, já a na sua versão europeia.
 A cor das matriculas pode também ser indicativa de alguma série especial ou variação de cor do próprio modelo, o que releva a sua importância relativamente à análise de cada modelo em particular.


Neste caso, o modelo com a referência BRK 7 apresenta uma carroçaria e um chassis quase inalterado, se bem que o "Made in Canada" ou "Made in England" marque sempre a diferença.
Um pouco mais ao pormenor, observemos o modelo BRK 2, um Tucker Torpedo de 1948, em que o modelo azul é o mais antigo e de origem canadeana. Repare-se nas frentes onde a representação dos faróis e do pára-choques surgem bastante diferentes. O modelo dourado, vem já ornamentado com matrícula, inexistente nas primeiras séries.
Igualmente na traseira, matrícula, grelha, pára-choques, escapes, tampa da mala e piscas, constituem elementos distintivos entre asmbas as séries.

Neste ângulo, observam-se melhor as diferenças acima indicadas. O modelo dourado que apresenta ainda algum aspecto tosco, demonstra bem os melhoramentos introduzidos ao nível geral.

O próprio chassis nada tem a vêr, verificando-se bem o "Made in Canada" na imagem da esquerda.

Algumas peças curiosas relacionadas com o mundo automóvel americano foram também lembradas por este fabricante, constituíndo interessantes complementos à colecção.
Com a referência BRK 31 com início de produção em 1991 e fim em 08/1992, esta Pontiac Van Sedan Delivery “Gulf” de 1953.
Um futurista Phanton Corsair de 1938 foi lembrado e recebeu a referência BRK 33 (001- por ter sido a cor preta a primeira a ser editada neste modelo).

Também não foram esquecidas outras séries especiais como esta Pontiac editada em 1991 que se fazia acompanhar do primeiro volume em Vídeo da história da Brooklin e ainda de um pequeno livro em que constam a totalidade das referências até aquela data.

Com a referência BRK X1 ou BRK 45 ou ainda DS X1, este Buick Roadmaster Convertible de 1948.
Esta confusão na referência, deve-se ao facto do mesmo modelo da série corrente ter recebido a referência BRK 45. Contudo, esta foi a entrada da Brooklin nas séries especiais tendo considerado diversas diferenças e quantidade de unidades, conforme o destino. São raros e este faz parte de uma edição de 50 exemplares produzidos para a Austrália e Nova Zelândia. DS X ou BRK X, foi a designação inicial para esta série, que mais tarde ficou assumidamente conhecida pela série BRK X, neste caso 1 por ter sido o primeiro.

Os Set's passaram a ser também edições apreciadas e este constituído por um PACKARD LIGHT 8 CONVERTIBLE de 1932 e um HUDSON GREATER 8 de 1931, foram o pontapé de saída. " Edição Marlyn House".

Na imagem de cima uma vitrina composta por alguns significativos modelos das décadas de 50 / 60, onde ao centro surge um curioso Stout Scarab de 1936, que terá sido porventura, o primeiro modelo no mundo a determinar o conceito de monovolume, não só pelo seu aspecto exterior, mas também pelos originais conceitos que incorporava interiormente. Não faltava por exemplo, uma mesa.

Na imagem de cima, só séries especais da série "FS", onde pode ser observada a Ford F1 Ranger com um atrelado a transportar os famosos Ford Thunderbird Racing de 1957, modelos da alta competição na época no Continente Norte Americano.

Aqui podem ser observados os modelos comemorativos do 25º e 30º aniversários do fabricante, bem como dois camiões muito raros constituintes da série"S". O modelo vermelho, representa uma transformação a um camião normal, representando um modelo de transporte de bebidas alcoólicas da "época seca".

E em baixo, uma imagem muito rara.
Posso garantir-vos que estão a ter o privilégio de ver a "The Plowing" ou em português, o arado. É tão só e apenas, a primeira peça da Brooklin. Muitos dos grandes coleccionadoeres deste fabricante, não mais viram do que uma imagem na última página de um antigo livro do fabricante.
Esta rara peça sem referência, razão pela qual no início do artigo me refiro "à primeira referência oficial", encontra-se em colecção particular em Portugal.
Datada de 1975 conforme se pode constactar, existem muito poucas no mundo, pelo qual a sua cotação será incalculável.
Fica então aqui mais uma pequena história de um grande e ímpar fabricante.