segunda-feira, 9 de junho de 2014

Campeonato GT - Terceira prova

 As instalações do GT Team Slot Clube receberam a terceira jornada do disputado campeonato destinado aos modelos GT, independentemente do seu fabricante.
E para esta prova, houve algumas surpresas a assinalar, a primeira das quais, terá sido a presença de Mika Monteira num Porsche 911 do fabricante NSR. Paulo Mendes surpreendeu também, ao fazer-se presente apostando em máquina similar à de Rui Mota, um Mc'Laren GTR da Slot.It, quando se esperava na aposta no Porsche 911 GT1 da Slot.It, por parte deste piloto. Mas a sua falta de treino para desenvolver qualquer deles, acabou por resultar numa participação desastrosa, bem longe dos pergaminhos demonstrados por este cotado piloto ao longo dos anos.
 Miguel Vigôço retomava o Aston Martin da primeira jornada, uma vez que o Mosler em que apostara  na segunda prova voltava às mãos do seu proprietário.
Iniciada a prova, constactava-se de imediato que caso não surgissem surpresas, seria uma vez mais José Pedro Marques e o seu incrível Saleen a levar a concorrência de vencida. E assim foi, muito embora tivesse pela primeira vez notado os seu primeiros problemas de eficácia, com os pneus a começarem a denotar alguma fraqueza.
 Mika Monteiro sem qualquer surpresa, não acompanhava o ritmo dos mais fortes pela natural falta de eficácia do seu Porsche perante os modelos adversários, mas também pelo seu menor tempo de treino neste traçado Carrera. No entanto, outros dois fortes concorrentes mostraram-se igualmente em menor nível competitívo. Foram eles Luís Azevedo a queixar-se de um Saleen impraticável e David Azevedo, uns furos abaixo da sua segunda e brutal participação. Augusto Amorim teve um início menos conseguido, mas uma elevada consistência acabaria por levá-lo à segunda posição final. Também Rui Mota que se vira obrigado à troca de motor mesmo antes desta começar, acabaria por surpreender com elevado andamento, chegando mesmo a catapultar o seu Mc'Laren pela primeira vez ao pódio. Ricardo Ferreira viria a ocupar a sexta posição, à frente de Miguel Vigôço, seguindo-se-lhe David Fernandes e o seu Corvette, um modelo que parece ter chegado ao limite da sua evolução, mas apesar disso, a conseguir posicionar-se à frente de Paulo, que parece encontrar-se numa situação de impasse no que respeita ao desenvolvimento do seu Saleen. César Amorim ocuparia o 10º lugar, algo que nos parece também desadequado perante o que este jovem piloto já nos conseguiu demonstrar. Segui-se-lhe Mika Monteiro e a fechar, acabaria por ser Paulo Mendes. Note-se que apesar da ausência nalgumas mangas, Paulo Mendes teve um misto de caos e êxito na sua participação. A uma série de acidentes no início da prova e de um modelo que parecia não colaborar, acabaria por demonstrar também um dos melhores andamentos. Espera-se pois na próxima jornada, um Paulo Mendes ao nível dos melhores nesta categoria.
Uma vez mais ficou demonstrado que se trata de um dos mais competitivos campeonatos e onde se têm feito presentes um lote de pilotos de elevado nível.
Para a quarta jornada, a expectativa é elevada e esperam-se lutas mais animadas ainda.