domingo, 29 de maio de 2016

O que aí vem - Policar

Ainda que as provas de F1 não tenham recuperado o lugar que tiveram aquando das produções SCX/Scalextrix e Ninco, a Policar retomou a temática e estamos em crer que dentro de pouco tempo, os clubes comecem finalmente a lembrar-se que esta categoria existe.
Mas a aposta deste fabricante recaiu nos modelos clássicos, o que serão sempre bem vindos, dado o carinho que normalmente se dedica a estes modelos do passado. Mas se coube ao Lotus 72 a honra de ser o primeiro modelo, é o Marche 701 o senhor que se segue. Celebrizado com a côr vermelha e sob o patrocínio dos óleos "STP", surgiu em 1970 e foi um modelo desenhado por Robin Herd e Peter Wright, com base no March 693P de Formula 3 de 1969 e com uma produção total de 11 modelos, tendo participado pela primeira vez numa prova do Campeonato do Mundo de F1, no GP da África do Sul. Nesse ano, conquistou uma vitória, conquistaria três Pole Positions e oito pódios, tendo no ano seguinte sido substituído pela versão 711. Pode pois considerar-se uma carreira curta para este bólide, mas com êxitos significativos.
A sua linha poder ser de estética duvidosa, mas foi dos primeiros F1 a deixar em mim uma marca eterna, pela imagem tatuada que ficou na minha memória, causada pelo patrocinador "STP" e pela própria marca "March" por quem sempre nutri um enorme interesse.
Uma curiosidade associada a este modelo, é o facto da própria "Tyrrell Racing Organisation" ter inscrito em paralelo com o seu próprio carro, também o March 701 para François Cévert e Jackie Stewart.

 Mas encontra-se já em fase adiantada a maqueta deste modelo por parte da Policar. Foi já mostrado este March, num "look" que aparenta estar muito próximo do seu estágio final. Não foi no entanto ainda divulgada qual a decoração que apresentará nem tão pouco a prova em que participou.
 E com a chegada de mais este militante dos clássicos de F1, poderão já os clubes começar a pensar guardar umas datas para inserir nos seus calendários de provas, estas beldades históricas.

 Quem recebe um novo incremento, é o Lotus 72 que viu anunciada a edição da versão D, modelo com que Emerson Fittipaldi viria a conseguir o título de Campeão Mundial de Formula 1.
 Um novo aileron, uma nova tomada de ar para os cilindros e a sempre bonita decoração sob as côres da "John Player Special", fazem sem dúvida dele, um exemplar ímpar.

  Uma terceirta côr para este Lotus foi também mostrada e correspondente à versão pilotada pelo também Campeão do Mundo, Graham Hill.

 E chegar-nos-à também, o estranho Lotus pilotado por Jochen Rindt e em que perderia a vida no GP Itália. Era comum naquele rápido circuito, os pilotos retirarem os apoios aerodinâmicos dos monolugares, para assim poderem tirar partido de uma maior velocidade máxima. O resultado desta operação, torna estas máquinas estranhas, mas ao mesmo tempo ímpares.

 O Ferrari F40 foi outro dos modelos mostrados por este fabricante, no que será mais um GT muito bem vindo, sobretudo pelas saudades deixadas pelas versões editadas pela Slot.It. Aqui, poderá estar para breve a sua chegada ao mercado.