domingo, 28 de janeiro de 2018

II Campeonato Slot Car Luso Galaico 2018 - Abertura no Clube Slot do Minho

Foi nas instalações do Clube Slot do Minho em Braga, que se deu o arranque da segunda edição do Campeonato Slot Car Luso Galaico, uma iniciativa que reúne seis clubes, sendo que quatro deles de Espanha e dois de Portugal, a saber, Slot Baixo Miño, Mangallo Slot, Slot digital Rias Baixas, Rias Baixas Slot, Clube Slot do Minho e Guimarães Slot Clube.
O formato desta iniciativa desdobra-se em dois distintos campeonatos, arrastando por isso uma considerável caravana de pilotos, sendo que as manhãs de sábado recebem participações individuais em modelos clássicos e as tardes destinam-se a equipas formadas por dois a três elementos, sendo os fantásticos modelos de Grupo C, os protagonistas da segunda metade do dia.
 E depois dos habituais períodos destinados aos treinos livres, os modelos rumaram ao parque fechado, seguindo-se-lhes a primeira das batalhas, a disputa pela pole position. Os quatro primeiros melhores registos acabariam naturalmente por pertencer a elementos da casa, seguindo-se-lhes Alfonso Mouriño, um habitué destas paixões e com inúmeras participações pelo nosso país.
Depois foi hora de devotar todos os dotes à luta em pista, demonstrando o melhor de todos os saberes em cada ponto do traçado por parte de cada concorrente, tentando fazer a diferença sobre cada um dos adversários que se fizerem presentes e com as mesma legítimas intenções.

 Com uma grelha de variadíssimos modelos e de distintos fabricantes, parece contudo ter vindo ao de cima uma clara supremacia do modelo McLaren do fabricante Slot.It, mas sempre com o Matra do mesmo fabricante, a espreitar.

 Houve um claro e natural favoritismo dos elementos da casa, vindo mesmo a conquistar as quatro primeiras posições da classificação geral. Diogo Matos fazia as honras de primeiro elemento externo ao conquistar a quinta posição, sendo Alfonso Mouriño na oitava posição, o primeiro espanhol, numa lista de participantes em que se registaram vinte e três competidores.
 A organização atingiu o ponto da excelência a todos os níveis, proporcionando um regular decorrer dos acontecimentos, conforme a regulamentação o exige.

Tabela da Classificação Geral - Clássicos Sport Protótipos




Mas porque se tinha um sábado pleno de actividade, os horários tornam-se apertados e poucos pontos mortos se permitem e por tal razão, tratou-se de imediato de pôr em movimentos elementos e máquinas para a longa tarde que se aprontava.
 Organização a postos, era tempo de receber as máquinas para as verificações técnicas.
 Enquanto isso, os menos familiarizados com esta pista aproveitavam todas as oportunidades para adaptar o dedo ao traçado.
 Outros, ultimavam as preparações....




                                 O Parque fechado                               
  Até que chegou a hora da qualificação, que ditaria a ordem de escolha das calhas.

                         Qualificação - Pilotos e máquinas                          
































Cumprida a primeira das etapas, o lugar seguinte era a grelha de partida. Com um total de onze equipas em presença, era necessário como habitualmente, recorrer-se ao método das calhas virtuais, servindo-se os elementos desse intervalo entre a saída e a nova entrada, para retemperar energias.
 Entretanto era hora de cada um desempenhar o melhor possível a tarefa para o qual se havia proposto.


 A equipa do GT Team / ART #2 era o primeiro comandante desta pequena maratona, mas havia quem não a quisesse deixar descansada e os bons desempenhos começavam a surgir.

 Slot Test e GT Team / ART #3 começavam disso a dar plenas indicações, acabando por assumir as duas primeiras posições.



 Mas a prova ía decorrendo e os primeiros comandantes íam decaíndo, ao mesmo tempo que se começavam a cimentar no topo da tabela as equipas do GT Team / ART #1 e do Clube Slot do Minho, acabando mesmo estas duas ultimas formações, ambas equipas caseiras, por ocupar as duas primeiras posições, numa prova em que o team vencedor provou ter andamento superior aos demais e onde as equipas de fora acabariam por sofrer do desconhecimento do traçado. Não virá daqui mal maior, pois esta situação repetir-se-à em cada um dos clubes por onde a caravana terá de passar. E é no final que as contas se farão.
 No final houve tempo para o alinhamento das máquinas presentes e também para uma bela sessão de fotografias.
 Prevaleceu tal como anteriormente, a excelência do convívio proporcionado entre os elementos das equipas.



 Quanto ao presidente do clube, parece ter ficado também satisfeito.
E no final a fotografia para a posteridade, onde não queremos deixar aqui registado o apreço pela sã camaradagem proporcionada não só pelos forasteiros portugueses, mas também por "nuestros hermanos".


Tabela Classificação Final - Grupo C
Agora venha a próxima, e viva Rias Baixas Slot...dia 24 de Fevereiro...