sábado, 6 de janeiro de 2018

E arrancou 2018, no Clube Slot do Minho

 A actividade competitiva do Clube Slot do Minho iniciou-se sexta-feira última, tendo cabido o início dos campeonatos aos modelos de Grupo C, no fundo, já uma categoria clássica num grande número de clubes.



 E depois de um breve período de convívio e lazer, foi hora de rumar à qualificação, procedimento recorrente na primeira das provas de todos os campeonatos de velocidade. E coube em sorte, que tivesse sido Carlos Afonso a ser o primeiro dos pilotos a registar no cronómetro toda a sua eficácia competitiva.

Momentos da qualificação


Carlos Afonso


Paulo Mendes

 
David Azevedo


Augusto Amorim


João Preto


Marco Freire


Rui Mota


Miguel Carvalho


Marco Silva


E a primeira batalha era ganha por Paulo Mendes, numa clara supremacia por parte do modelo Nissan que viria a ocupar as três primeiras posições.
Notar que merecem uma chamada de louvor, Miguel Carvalho que uma vez mais conseguiu marcar presença apesar das suas sempre difíceis deslocações, Marco Freire que pela primeira vez participou com viatura própria e por sinal, o mais bonito dos Gr. C presentes e pois claro, João Preto, o ansioso menino que muito nos honrou com a sua primeira presença absoluta no seio das competições a sério.
Por outro lado, realçar as ausências por motivos de força maior, de Luís Azevedo, David Fernandes e Eugénio Veiga e que são já elementos que conseguem marcar pela positiva a qualidade competitiva deste clube..

 E foi então momento de se dar início às hostilidades, numa primeira manga que contou com a presença de João Preto, Miguel Carvalho, Marco Freire, Marco Silva, Carlos Afonso e Rui Mota, tendo o decorrer da mesmo acontecido através do recurso ao sistema de calhas virtuais.
 Três Nissan, três Porsche, um Sauber, um Lancia e um Toyota, foram as marcas pelas quais os participantes a esta primeira jornada deste campeonato, recorreram.
 A prova decorreu com elevado espírito competitivo, sendo Paulo Mendes aquele que mais se destacou através de um notável desempenho, tendo deixado Augusto Amorim, o segundo classificado, à considerável distância de 2 voltas. A terceira posição era conquistada por David Azevedo que relegava por uma volta, Rui Mota para a quarta posição. Um pouco mais abaixo, a luta dava-se entre Carlos Afonso e Marco Silva com vantagem para o primeiro, ocupando as quinta e sexta posições. Miguel Carvalho no seu regresso, não conseguia ir além da sétimo posição, muito por culpa de um Sauber desajustado das últimas evoluções proporcionadas pela Slot.It. Marco Freire seguia-se-lhe na estreia de um Lancia que tem ainda bastante para evoluir e ainda em fase de aperfeiçoamento da arte da pilotagem. Por fim o nosso benjamim, que apesar do barril de nervos em que se encontrava, conseguia dominar-se o suficiente para conseguir andar na luta, demonstrando até um notável auto-domínio para conseguir resistir à tentação de seguir os mais rápidos. Parabéns miúdo.
Mas após o término da mesma, a reviravolta acontecia. O Nissan vencedor acabava por não passar na balança. Um pequeno percalço que custaria a Paulo Mendes a desclassificação, acabando por subir uma posição todos os outros pilotos e assim, quem a acabaria por levar a coroa de louros era Augusto Amorim, numa prova em que ficou clara a supremacia do modelo Nissan. Será que assim irá continuar a ser? Acompanhe os próximos capítulos.....