sábado, 10 de novembro de 2012

Cmpeonato Gr. 5 - 1ª prova - Muita animação

 Decorreu sexta-feira a prova de abertura do Campeonato Gr.5, demonstrando-se as verdadeiras potencialidades destes verdadeiros carros de corridas.
 Um dos mais esperados modelos, era este Ferrari BB com que Rui Costa participou. Com um chassis do Sauber da Slot.It e depois de algum trabalho de bricolage, lá estava o interessante carro pronto para medir forças com a armada Ford e os dois Lancia que estiveram presentes.


 Os protagonistas. Bruno Martins estabeleceu o melhor registo na qualificação e durante a prova, mostrou-se invariavelmente como o homem a bater.

Augusto Amorim, andou na luta

Paulo Mendes, começou bem mas não aguentou o ritmo

José Pedro Marques venceu a sua manga, mas não esteve ao melhor nível

José Eduardo, com um carro assim, melhor não era mesmo possível.

Rui Costa, com o seu Ferrari ainda chegou a intimidar os melhores da sua manga.

António Maia não teve a colaboração do seu Capri.

José Pedro Vieira, foi o único participante a apostar num berço para motores em posição inline.

E tivemos a grata presença do nosso Jana, o homem que nos abandonou para profissionalmente desbravar novos rumos em África.

E depois da qualificação, a Bruno Martins que estabeleceu o melhor registo, seguiram-se-lhe Emídio Peixoto (Lancia), Paulo Mendes (Lancia), Rui Mota (Capri) e Augusto Amorim (Capri), tendo estes pilotos ocupado a segunda manga.

O sexto tempo coube a José Pedro Marques (Capri), seguido de António Maia (Capri), Rui Costa (Ferrari), José Pedro Vieira (Capri) e a fechar e com aquele que se mostrou como o menos eficaz modelo, José Eduardo (Capri), tendo tomado lugar na primeira das mangas.

Na primeira manga, José Pedro Marques dominou, enquanto Rui Costa com o seu Ferrari adaptado e José Pedro Vieira com motor em linha no seu Capri, surpreendiam com andamentos que pouco ficavam a dever aos mais eficazes Ford Capri. José Eduardo empenhava-se na condução de maneira a combater a má preparação do seu carro, mas não evitava mesmo assim a fuga à última posição.
 Carros e pilotos.

Na segunda manga esperava-se uma verdadeira luta de titãs e se de início se confirmava essa expectativa, com o decorrer da mesma, alguns modelos foram quebrando e baixava-se nalguns casos drasticamente os andamentos. Assim aconteceu com Emídio Peixoto a braços com um inguiável Lancia, com Rui Mota que devido à descolagem dos pneus a imprevisibilidade de seu Capri passou a ser uma constante e Paulo Mendes debatia-se com um Lancia que de quando em vez se envolvia em carambolas de alguma violência. Quem passava incólume era Bruno o Martins, que beneficiava ainda de um Ford Capri que dificilmente alguém lhe chegaria. Augusto Amorim fez também uma prova exemplar.
 Modelos e pilotos.
 No pódio, foram os Ford Capri a ocupar as duas primeiras posições, enquanto Paulo Mendes conseguia a terceira posição.
 José Pedro Marques seguia-se-lhe, vindo depois Rui Mota, António Maia, José Pedro Vieira, Emídio Peixoto, Rui Costa e a fechar, José Eduardo.

Modelos muito competitivos, onde se espera uma melhor preparação para a próxima etapa, por parte dos menos competitivos modelos que se fizeram presentes.