quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Cheetah volta à carga...

 Como verdadeiro apaixonado que sou pelo Cheetah, não poderei perder pitada duma oportunidade para versar mais um pouquito sobre esta "quase lenda americana".
 E a chegada de mais um destes gloriosos ao nosso mercado através do fabricante Carrera, permite-me a oportunidade dum comparativo entre este e o anteriormente chegado da MRRC.
 E não me sobram dúvidas imediatamente, de que este novato bate aos pontos o seu adversário. Isto, porque se encontra soberbamente retratado por uma maqueta quase exemplar. De medidas e proporções muito mais condizentes com a realidade e melhorado ainda por uma bela pintura e cromados onde eles devem existir, transformam esta nova peça, num verdadeiro modelo de colecção.
 A secção frontal na zona do eixo anterior surge mais larga do que no modelo da MRRC. Também o mesmo sucede relativamente ao eixo posterior. A pureza das linhas ficou muito mais próxima da dos modelos reais.

 Pelas imagens de baixo e por comparação com a imagem de cima, é possível verificar que a tomada de ar existente à frente tem uma generosa dimensão, mas na representação da MRRC, esta encontra-se demasiado estreita e apertada.

A forma como a linha limite inferior do remate dos guarda-lama traseiros surgem representados, parece-me neste particular, melhor no modelo da MRRC.
Com uma silhueta muito mais realista, convence-nos relativamente à maior fidelidade, o modelo da Carrera.

 Na Carrera, o Cheetah surge bem mais largo ao nível de ambas as vias.

 Em ambos os casos, a representação dos pilotos é de meio corpo apenas, mas a MRRC fingiu as pernas através de uma bela pintura.

 Nestas duas imagens, pode verificar-se o ponto mais fraco desta reprodução. O capôt-motor na zona mais inferior e já junto ao escape, surge representado de maneira muito vertical e este, na verdade, deveria continuar a arredondar até ao seu limite mais inferior.
 Por comparação, verifica-se o excesso de verticalidade do capôt-motor, na miniatura. Também a emenda na parte traseira do modelo, é desagradável, mas é tudo uma questão de moldes.
 O pormenor das jantes continuam a marcar forte pendor de vantagem para o Cheetah da Carrera, pois para além duma melhor representação das mesmas, o aro absolutamente cromada confere-lhe um atraente acabamento. Pena uns pneus a exceder a devida medida, pois estes deveriam ter sido reproduzidos ligeiramente mais baixos e umas jantes traseiras que poderiam também, ter um pouco de mais profundidade.
Tampões dos depósitos, frisos dos Stop's, escapes e aros das jantes cromados, dão pontos extra a este belíssimo modelo americano de produção Carrera.

As jantes são ainda complementadas com a inclusão da simulação dos discos de travões e respectivas pinças.
E para que não sobrem dúvidas, julgo que esta última imagem é bem elucidativa. E para rematar, temos ainda um Cheetah da Carrera, mais barato do que o rival.