sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Mini All4 Racing Dakar 2012 - Scaleauto

 2011 foi o ano da aposta da BMW no Rali Paris-Dakar, através de uma armada que assentou no Mini All4, pois trata-se de uma recriação germânica e não como originalmente, inglesa. Uma vez que a Mini faz agora parte do grupo BMW, foi criada uma imagem com base no Mini que assentava no chassis já massivamente explorada naquela prova, do BMW X3. E conseguiram assim a chave para o êxito, já que a vitória final lhes sorrir-lhes-ia, através do modelo com o dorsal 302, tripulado pela dupla constituída por Stéphane Peterhansel / Jean-Paul Cottret. Mas a segunda posição ficaria também na marca, por intermédio de Nani Roma / Michel Périn, em modelo inscrito igualmente pela Monster Energy X-Raid Team e com o dorsal 305. Mas esta representação conseguiria também o quarto lugar por intermédio de Leonid Novitskiy / Andreas Sculz no modelo laranja e preto com o dorsal 312 e ainda o sétimo lugar através da equipa portuguesa constituída por Ricardo Leal dos Santos / Paulo Fiuza, em Mini com o dorsal 309. Foi pois um domínio redundante por parte deste pequeno Golias.

Mas chegados que foram ao mundo dos slot car por intermédio da Scaleauto, apraz-nos fazer algumas chamadas de atenção a pequenos erros cometidos por este fabricante, relativamente à sua reprodução. E ressalta no imediato, isto na versão de Nani Roma, a côr, razão pela qual este artigo versa apenas este modelo. O amarelo de que está pintado, parece-nos exageradamente claro e que o próxima até de um amarelo quase fluorescente. Mas mais grave será até a inexistência tanto do lettering como dos logos da "Monster". Nem colocado no modelo, nem por colocar. Verdadeiramente incompreensível e até inaceitável.
 Serão no entanto os únicos apontamentos a merecer registo no aspecto gráfico da questão. Porém, em termos de maqueta, outros aspecto merecem igualmente reparo pela incorrecção que apresentam. Não se tratando este Mini de um modelo bonito, a interpretação da Scaleauto conseguiu ainda piora-lo mais um pouco.
 E vejamos a frente. Repare-se na excessiva altura que apresenta a grelha frontal. Para além de demasiado angulosa, a sua excessiva altura proporciona um look verdadeiramente desagradável que, quando comparado com a imagem do modelo real, dá para perceber o quanto pior esteticamente ficou este modelo.
 Esse pormenor, associado a uma protecção do cárter demasiado vertical, favorece uma imagem de autêntica parede frontal. De facto, uma secção muito pouco conseguida, mas que no resto do conjunto acaba por ser disfarçada, já que o restante modelo se encontra muito bom.
Como nota final, referir apenas como mais dois ponto negativos, a existência da representação de tubo de escape do lado esquerdo, quando este existe apenas do lado direito e a falta da representação da abertura da tampa da mala, que se deveria prolongar para a capota.