terça-feira, 15 de novembro de 2016

Quarta prova Campeonato Porsche 991 GT3

 Mais uma sexta-feira passada e mais uma noite de nervos à flor da pele. Pois foi mais uma tremenda prova dedicada aos Porsche 911/991 que decorreu nas instalações permanentes do GT Team Slot Clube e onde a luta foi verdadeiramente empolgante em cada uma das duas mangas ocorridas.


 Carros alinhados de acordo com as duas mangas e hora de se iniciar uma das mais aguerridas batalhas entre Porsche's do fabricante Scaleauto. Deve adiantar-se, que neste clube existe já a certeza destes modelos se encontrarem quase no limiar das suas preparações, tal o andamento que deles se consegue já extrair.

 E iniciou-se a jornada, com o lote de pilotos que melhor posicionados se encontram no campeonato. Eram eles, César Amorim, Augusto Amorim, Paulo Mendes e David Azevedo, incluindo-se nesta manga e por uma questão de conveniência, o vimaranense Carlos Afonso.
O andamento imposto por estes pilotos foi verdadeiramente alucinante, o que deixava perceber que poucas ou nenhumas hipóteses de uma boa classificação haveria para os pilotos que se seguiriam. Augusto Amorim viria a vencer a manga, mas beneficiando de alguns maus momentos vividos por Paulo Mendes, quando este se desentendia momentaneamente com um menos bom desempenho do seu Porsche. Apesar disso, estes dois pilotos protagonizaram um notável desempenho, que os posicionava acima da restante concorrência. Atrás destes, ficariam César Amorim e David Azevedo que completariam com o mesmo número de voltas, esta jornada. Surpreendentemente, com apenas menos uma volta ficaria Carlos Afonso, numa prova de que dispôe também duma belíssima máquina, ao mesmo tempo que demonstra encontrar-se perfeitamente entrosado com este difícil traçado.
 E iniciava-se a segunda manga, onde se encontravam os dois vianeneses, Nuno Mendo e Luís Pinto, Rui Mota e David Fernandes.
E se a primeira manga mostrou grande aplicação por parte dos pilotos, os da segunda mostraram-se inimaginável e igualmente suficientemente aguerridos, para entrar na luta pelas primeiras posições. E por uma volta apenas, Rui Mota impunha-se a David Fernandes, entrando o primeiro na luta pelo pódio, o que conseguiria com o mesmo número de voltas de Paulo Mendes. Nuno Mendes e Luís Pinto guerreavam-se pela melhor posição entre ambos, já que o período de aprendizagem desta pista continua em franco desenvolvimento.

E se no final Augusto Amrim conseguia uma categórica vitória, já entre o sétimo e o segundo, a diferença fazia-se por três voltas apenas, o que bem demonstra o ritmo endiabrado e generalizado a que se andou nesta prova. E se Nuno Mendo e Luís Pinto se atrasaram um pouco, deve-se apenas ao facto de não se encontrarem ainda perfeitamente adaptados a este difícil traçado, algo que tem vindo paulatinamente a ser aperfeiçoado.

 O pódio dos carros, com o Porsche de Augusto Amorim a ocupar o degrau mais alto.
 O pódio dos pilotos, com Augusto Amorim, Paulo Mendes e Rui Mota, respectivamente em primeiro, segundo e terceiro.