quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Acontecimentos de Le Mans - 1939 e 1994

1939 foi o ano da aventura alemã por parte da BMW, nas míticas 24 Horas de Le Mans.
Nesse ano, três modelos eram inscritos pela marca, um 328 Touring Coupé e dois modelos abertos do bem recebido pela comunidade adepta dos modelos desportivos, o 328.

 Nesse ano, foi a Bugatti com o Type 57C Tank que com o seu 3.3L Supercharged de 8 cilindros, leva de vencida a concorrência, tendo cumprido um total de 248 voltas.
 Os pilotos Jean-Pierre Wimille e Pierre Veyron foram os heróis que conseguiram dar a esta marca a segunda vitória nesta prova e com um modelo que sobressaía dos demais pretendentes, por possuir uma carroçaria de linhas avançadas, denotando já uma imensa preocupação com a questão aerodinâmica, uma evolução no entanto do modelo que tinha conseguido já a almejada vitória em 1937.
O fabricante Le Mans Miniatures disponibilizou-nos já esta magnífica peça de colecção.
De extraordinária qualidade como é seu habitual timbre, este Bugatti merece verdadeiramente as honras de peça de "Alta Qualidade".

Mas nesse ano e tal como foi já mencionado, a BMW teve a sua estreia e com resultados nada esperados, já que a excelência conseguida não era própria de quem se encontrava em estreia destas andanças de dureza máxima para máquinas e homens.
O modelo com o dorsal 26 conseguia a 5ª posição final, a uma diferença de duas voltas da 4ª posição. Tratando-se de um modelo de 6 cilindros e 2ooo de cilindrada, encontrava-se em condição de inferioridade relativamente aos 3.0 e 4.5 dos seus rivais.
 Mas os pilotos Max zu Schaumburg-Lippe e Fritz Hans Wenscher conseguiram com este modelo, um 328 Touring Coupé a vitória à classe.
Este modelo não nos foi ainda trazido pelos fabricantes de Slot, mas outros da escala 1/43 fizeram-nos já chegar ao mercado. De fabrico Schuco, podemos integrar esta bela peça no conjunto de modelos associados à clássica francesa.
Os outros dois modelos, dotados também de motores de 2.000 c.c., tinham no entanto blocos de 4 cilindros e tratavam-se de carroçarias abertas. No entanto todos conseguiram vencer a dureza desta maratona, tendo o modelo com o dorsal 27 terminado na 7ª posição e o nº28 na 9ª com 230 e 220 voltas respectivamente.
Curioso foi ver o regresso inglório da Bugatti através do seu EB 110a Le Mans em 1994, e que correspondia a um modelo de tracção total.
Tratou-se do topo de gama da marca naquela data, não se tendo mostrado no entanto à altura da concorrência.
 Mas a SCX deu-nos o grato prazer de podermos dispôr deste histórico para o mundo do Slot.
E tal como o verdadeiro, também este se encontra dotado de tracção às 4 rodas.