quinta-feira, 12 de julho de 2012

Capri Gr. 5 DRM - Sideways

Os modelos do extinto Gr.5 que participavam no Campeonato alemão DRM, eram verdadeiras e brutais máquinas de competição. Não são invulgares as imagens destes modelos a cuspir fogo pelos escapes, o que denuncia bem a invulgar potência atingida pelos seus propulsores, ajudados ainda por umas incríveis carroçarias trabalhadas para se atingirem invulgares valores de penetração aerodinâmica, para carros do tipo produção.



 O fabricante Racer, através da sua linha mais acessível e dedicada a modelos de plástico, a Sideways, acabou por recriar o espírito destas verdadeiras bombas e começou a produzir estes modelos para o Slot. O Ford Capri é o primeiro a ser editado, estando na forja, a chegada do Lancia Beta Monte-Carlo, modelo do qual foi já possível ver imagens do seu protótipo. Outros se seguirão tais como os BMW 3.20 e M1, os Porsche 935 K3 e Moby Dick por exemplo.

Entretanto, o modelo agora chegado, para além de ser em plástico e bem trabalhado ao nível do seu peso, denota uma qualidade de linhas que bem o poderia posicionar numa estante de coleccionador de modelos estáticos. As jantes apresentam-se com uma invulgar qualidade, que ultrapassa e bem os modelos da Slot.It, já que estas, além de se tratarem também de jantes de aperto atrás, apresentam o seu insert bem afundado nas jantes traseiras, ao mesmo tempo que retrata ainda um aro bastante aproximado da realidade.

A representação dos stop's é outro dos aspectos invulgarmente bem conseguidos. Distinguem-se bem os piscas dos stop's, assim como ainda das luzes de marcha-a-trás, que surgem verdadeiramente, a cromado. É muito raro, constactar-mos estes pormenores tão bem representados em modelos à modalidade de Slot, destinados.

A embaladeira do lado esquerdo, apresenta a necessária deformação para a incorporação do escape que surge no plano inferior ao da carroçaria. Não faltam também, as redes nas tomadas de ar dos guarda-lama. A tampografia é outro dos aspectos a realçar, já que têm excelente qualidade. Peca apenas nas zonas limite dos recortes da carroçaria, onde o seu acabamento não se mostra tão perfeito.

No símbolo da "MAHLE", não se fugiu à cor prata que o inclui, o que implica a introdução de mais uma cor na sua decoração. A qualidade das jantes frontais, mantém-se relativamente às de trás.
No símbolo da "Ford" na grelha, dá para perceber o elevado nível da tampografia deste modelo.
As grelhas de arejamento e escoamento de ar, encontram-se também bem reproduzidas, bem demonstrando o elevado nível de qualidade deste Capri.
Nas zonas limites dos recortes da carroçaria, a tampografia falha. Isso observa-se bem na tampa da mala que inclui o óculo traseiro.

 Um chassis que incorpora uma mais do que comprovada mecânica de origem Slot.It, garantirão certamente um elevado nível competitivo destas máquinas. Apenas a concepção do encaixe do eixo traseiro no berço do motor e ao estilo da "Sloting Plus" poderão levantar suspeitas. Não que se tenha revelado um erro, mas é de certeza de vantagem duvidosa. E a menos que se permita que entre este acessório e a bancada própriamente dita se admitam espaçadores que lhe dêem altura, o que permitirá um rebaixamento do modelo, poderá então tirar-se partido desta opção.
 O motor trata-se também de um Slot.It, o mesmo que equipa o actual Lola LMP1 desse mesmo fabricante.
Um belo exemplo de uma parceria bem conseguida...