quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Scaleauto/MSC - Considerações

A Scaleauto, fabricante de modelos de Slot de origem espanhola e associada à IBB, nasceu à semelhança da Slot.It e Sloting Plus por exemplo, a partir do fabrico de acessórios próprios para a competição Slot. De grande qualidade portanto, pois na mira encontrava-se a excelência do desempenho dos modelos com o seu equipamento montado, houve necessidade em determinada altura, de dar aquele passo que lhes servia de avanço para o fabrico de modelos próprios.
A oportunidade surgiu quando a ProSlot, outro fabricante de modelos de Slot, faliu. Na ponta da mira e a funcionar como lâmpada orientadora do rumo para o futuro, encontrava-se o Toyota GT1 desse fabricante.

O modelo base da ProSlot, foi objecto de estudo e melhoramento

Comprados os direitos, arranca a Scaleauto na produção desse modelo, mas agora com trabalho de sua autoria sobre o chassis. A verdade é que acabavam de transformar este modelo, num dos melhor sucedidos modelos de competição. Nada dado a questões estéticas e de pormenores, a verdade é que passou a constar como a máquina a bater naquela classe. Claro que ao modelo base, havia necessidade de o melhorar ao nível do seu equipamento original, mas que após as melhorias introduzidas para a competição, a fasquia acabava por se situar num patamar quase inalcansável para a concorrência. Mas como em tudo, foram surgindo novos modelos e a Scaleauto sentiu necessidade de partir para novos projectos.
O Radical SR-9, acabou por ser o verdadeiro primeiro projecto deste fabricante.
Já com vastos conhecimentos adquiridos, adaptaram este modelo a cotas que conseguiram fazer dele uma verdadeira máquina de competição. De imediato este modelo mostrou um desempenho excepcional, mesmo acabado de sair de caixa. Quase diríamos que se trata de um modelo RTR (Ready To Run - Pronto a Correr).
Embora originalmente dotado de chassis com motor em posição inline, encontra-se já preparado, à boa moda da actualidade, para receber berço para motor em posição anglewinder, o que faz disparar as suas aptidões dinâmicas.


Depois desta excelente surpresa, que apesar de tudo não chegou a fazer dele um campeão de vendas, este mesmo fabricante lança-se em paralelo no campo dos ralis. Para isso, cria a conhecida marca MSC e faz-nos chegar alguns interessantes modelos, tanto do Grupo B como do WRC.
E qualquer deles acaba por servir de confirmação do quanto evoluído se encontra este fabricante. Modelos altamente cuidados a todos os níveis, encontram no seu desempenho, o seu maior mérito.

O Subaru WRC, chegou ao mercado e com surpreendente facilidade conseguiu chegar ao nível da concorrência. Após alguns desenvolvimentos, mostrou-se a MSC a um nível preocupante para quem contra eles se quiser defrontar, pois os resultados que começam a surgir através deste modelo são verdadeiramente preocupantes.
Actualmente, será mesmo a concorrência a ter que fazer um esforço para conseguir acompanhar os infindáveis desenvolvimentos que este fabricante tem conseguido vir a impor, na guerra da conquista de mercado.


Para os modelos de Grupo B editou também já, dois modelos muito bem recebidos pela comunidade dos apaixonados do Slot. Isto claro, numa continuidade das realizações ralizeiras, mas referente a uma época de grande saudosismo dos amantes dos ralis. Aqui, embora se tivesse já constatado também o alto desempenho destes carros, não têm uma mecânica de ponta, proporcionada pelo chassis Monte-Carlo desenvolvido para equipar o Subaru WRC, mas que também é vendido em separado, e quase com a possibilidade de ser adaptado a qualquer máquina.


E após o trajecto de sucesso atravessado por este que começa já a ser um vasto projecto espanhol, pois existem ainda as apostas na escala 1/24 e que aqui não abordamos, tudo o que daqui para a frente possa surgir pela mão da Scaleauto, será sempre objecto de grande atenção por parte dos apaixonados slotistas.

E como tal, o Mercedes-Benz SLS, gerou naturalmente a maior das expectativas.
Modelo da moda na realidade e vocacionado para uma competição mais condizente com modelos de cidade (os modelos GT tiveram sempre muito boa aceitação entre os praticantes de Slot), acabou por ser de imediato para nós um verdadeiro centro de atenções, tanto pela novidade em si, como também pela atempada aproximação com a realidade.
Faltava verificar a sua irreverência enquanto modelo de Slot, em pista. Tanto mais, que nos encontramos envolvidos na deslocação a Espanha, onde este é um dos modelos a ser por lá utilizado.
De aparência prometedora, este modelo surge como uma belíssima réplica do modelo real, apresentando-se ainda dotado de uma carroçaria ultraligeira. O próprio interior é num lexan de significativa espessura, mas de reduzidíssimo peso quando comparado com modelos similares, o que confere a esta parte do modelo uma mais valia nesse particular.
De chassis de acordo com as últimas evoluções deste fabricante, embora equipado com motor em posição inline, permite também a sua passagem para anglewinder, através da adopção de um berço já disponível para o efeito. Equipado com jantes de plástico e pneus de alguma dureza, talvez constitua este, o aspecto mais negativo do modelo.
O seu chassis permite múltiplas afinações no que respeita ao seu equilíbrio em termos de basculação. Além da regulação do próprio berço que admite ainda a adopção de suspensão, é ainda possível regular a afinação do chassis relativamente à carroçaria, através da adopção de parafusos allen que o trancam ou aliviam numas lâminas existentes no interior da carroçaria. A altura do eixo da frente é também passível de regulação, pelo mesmo método de parafusos allen.
Outro aspecto negativo é a forma de encaixe dos bronzes dos eixos, no seu berço. Ficando laços, além da dificuldade que causam na montagem dos eixos, permitem também a transferência de alguma vibração desagradável e prejudicial para o bom desempenho, ao resto do modelo.
O motor é uma das agradáveis surpresas, no que respeita às suas performances. Capaz de atingir as 21.000 rpm, na pista parece dotado de muito mais poder atlético do que o indicado. Negativamente, parece encontrar-se a sua entrega, pois não se apresenta constante, já que nos dá a ideia de às vezes andar mais.
 Brevemente voltaremos ao tema, para um desenvolvimento mais pormenorizado sobre a preparação deste mesmo modelo.
Nas imagens, o modelo de série ao lado de um já preparado.