domingo, 4 de março de 2012

Campeonato de Grupo 2 - 4ª Prova

Se a prova anterior deste campeonato se pautou por uma verdadeira guerra de nervos, esta pelo contrário, foi a confirmação das potencialidades inatas do Porsche 911, sobre os demais modelos, deixando a guerra de nervos, para os lugares seguintes.
Paulo Mendes e o seu Porsche , definiram isso logo no momento da qualificação, quando bateu a concorrência com grande facilidade. Mas nota de relevo, foi também a ausência do comandante Emídio Peixoto, que havia conseguido até ao momento, três vitórias em três provas.
Assim, a dúvida dos andamentos dos restantes participantes, era o que levantava as maiores expectativas, até porque se contava pela primeira vez neste campeonato, com o rápido Luís Azevedo, a inscrever-se com o BMW 2002 de Francisco Matos.
E a primeira manga definiu Rui Mota, António Maia, Rui Costa, Bruno Martins e Luís Azevedo, como os pilotos a iniciar esta 4ª prova deste sempre interessante Campeonato de Grupo 2.
Iniciada a mesma, Luís Azevedo e Bruno Martins mostraram-se de imediato como sendo os pilotos mais rápidos desta manga, acabando a mesma numa acesa luta que se cifrou numa diferença de uma volta apenas, favorável ao Luís Azevedo. Mais para trás, a luta era a três, até ao momento em que António Maia destrói o seu BMW num acidente. Ficavam então os dois Rui, numa guerra em que Rui Costa e o seu carocha punha a cabeça em água a Rui Mota. No entanto, o primeiro viria a ser prejudicado pela inadaptação ao seu novo punho, o que acabou por dar no final, a vantagem a Rui Mota.
Para a segunda manga, eram Paulo Mendes, Carlos Alvim, Augusto Amorim e José Eduardo, que iriam degladiar-se, numa luta a três, contra o impressionante Porsche de Paulo Mendes.
Iniciada a prova, o Poersche ditava a sua lei, enquanto atrás de si se registava uma impressionante luta, onde os dois Ford Escort presentes, se impunham ao BMW de Carlos Alvim, até ao momento do primeiro despista protagonizado por Augusto Amorim, o que o levaria a atrazar-se. Mas esta manga teve como nota positiva, o excelente andamento imposto tanto por José Eduardo como por Carlos Alvim, numa verdadeira luta titânica entre estes dois pilotos, vindo José Eduardo a impor-se por escassos metros. Ambos na mesma volta, viriam a ocupar os lugares a seguir a Paulo Mendes, seguindo-se-lhes na quarta posição, Luís Azevedo com menos uma volta. Também Bruno Martins acabava por conseguir mais uma volta do que Augusto Amorim, relegando este para a sexta posição. Seguiram-se na classificação geral, Rui Mota, Rui Costa e a fechar a tabela de classificação, António Maia.


Mais uma excelente jornada de Grupo 2, em que como nota final, se regista o incrível equilíbrio entre máquinas e pilotos, o que faz com que obrigatóriamente, não existam quase pilotos favoritos à partida. A exceção, prende-se com o Porsche de Paulo Mendes, que definitivamente, é superior aos restantes modelos que têm vindo a participar.
No Pódio, Paulo Mendes viu-se ladeado por José Eduardo, o segundo classificado e Carlos Alvim, o terceiro.
Mais uma excelente jornada.