segunda-feira, 29 de outubro de 2012

O peso dos anos....

O Ford RS 200, é um dos ícones dos extintos modelos de rali do Grupo B.
E quantos de nós não poderam dele desfrutar e até dar os primeiros passos no panorama dos Slo Car, quando a Scalextric nos brindou com a sua edição?
 Hoje, poderá já tratar-se de uma pérola de colecção, até porque podemos também hoje, desfrutar de peça idêntica, mas produzida de acordo com os mais modernos preceitos actuais.  Mas a par do Audi Quattro, também fez história o RS 200 da Scalextric, ao inundarem as pistas de novos adeptos, através duma aliciante reprodução, mas também pela inédita introdução da tracção às quatro rodas à escala 1/32, algo inovador naquela época.
 Naquele tempo, os minimodelos faziam-se acompanhar do respectivo folheto de instruções de manutenção, coisa que hoje em dia os fabricantes passaram a dispensar.
 Mas o hiato de tempo que medeia estas duas edições, permite disparidades abismais, ao ponto de parecer estarmos perante duas escalas diferentes.
 Toda a dimensão da carroçaria bem como das próprias rodas, passou a ser nos tempos mais modernos, de maior dimensão.
 Mostra-se a reprodução da MSC, bastante maior em comprimento, como também em largura.
 A reprodução dos pormenores por parte da MSC, é outro dos aspecto que diferencia substancialmente ambas as reproduções. Mas na verdade, o mais velhinho de ambos, é o que me aparente maior fidelidade para como modelo real. Parecendo-me mais proporcionado, acaba por por somar ao saudosismo, alguma maior pureza de dimensões.
Quando comparadas as imagens das miniaturas com a do modelo real, é possível verificar que o mais velho dos modelos se encontra detentor de melhores proporções à escala, ainda que peque um pouco por uma dimensão excessivamente reduzida.

 A reprodução mais actual desta versão da Ford, mostra-se muito mais rica ao nível dos interiores, tanto do habitáculo como da representação do motor.


 Já curiosa é a constactação de que volvidos estes anos todos, o conceito mecânico permaneceu absolutamente inalterado. Motor inline e tracção às quatro por correia. O peso dos anos, afinal, reflecte-se sobretudo na melhoria tecnológica ao nível da qualidade das carroçarias e seus pormenores, com a diminuição de peso  e uma mais fiel criação à escala, mas sobretudo ao nível dinâmico, já que o novo conceito de chassis, aliado a um motor de dinâmica mais eficaz, permitem uma eficácia incomparável.