sexta-feira, 17 de junho de 2011

Alguns históricos de Le Mans

Através do preparador Carol Shelby, a Ford surgia na edição de 1967 de Le Mans, com este belo Ford Mustang GT-350R.

 Mas este preparador havia já feito anteriormente a sua aparição no ano de 1964, com este extraordinário Shelby Cobra Daytona Coupé.
Através da dupla Dan Gurney / Bob Bondurant, acabaram por saír vencedores na classe dos GT com mais de 3.000cc, tendo conseguido ser o primeiro não Ferrari ao atingir a 4ª posição absoluta.

Mas o mais brutal de todos os modelos americanos que por Le Mans passaram, é sem dúvida o Chevrolet Corvette inscrito por John Greenwood.
As sua loucas linhas, brutal cilindrada e roncar que ninguém deixava indiferente, marcou uma indiscutível posição na prova francesa.
O modelo aqui mostrado, não representa o participante de Le Mans, mas sim na sua participação em Sebring no ano de 1976.

A Jaguar por seu lado, havia já conquistado por várias vezes a glória na mais mítica de todas as resistências, mas no ano de 1963, surgia com os bonitos Jaguar E Type. O modelo Nº15, tratava-se da versão cabriolet equipado de Hardtop.
Dotado também de uma brutal motorização de 6 cilindros e 3.800 cc de cilindrada, logrou atingir o fim da prova na 9ª posição, através da dupla de americanos Briggs S. Cunningham, o próprio preparador do modelo e o seu companheiro Bob Grossman.

No ano seguinte, em 1964, era a vez dos alemães do tem Lindner e através do próprio Peter Lindner e Peter Nöcker, se inscreverem com um modelo similar. Dotado da mesma motorização, este Jaguar E surgia evoluido nas suas linhas. Melhorado aerodinâmicamente por forma a transformar-se numa carroçaria de escoamento de ar melhorado para tirar partido das longas rectas, não conseguiu no entanto atingir o final da prova.
Mas para a história, ficou este belo exemplar de linhas arrojado e ímpares para este modelo.
E todos estes modelos são reproduções da Revell, fabricante que ainda se vai dando à reprodução de umas curiosidades.