segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Nissan R89C - Comparativo impossível

 O recém chegado Nissan R89C do fabricante Slot.It, levou-me a retratá-lo através duma comparação com um seu irmão gémeo, muito embora tenham a separá-los, nada menos do que 25 anos.
 Slot.It e Scalextric (Espanha) fizeram questão de reunir nas suas fileiras este belo exemplar nipónico que militou nos campeonatos de Gr. C no ano de 1989. Contudo, não poderia-mos encontrar melhor exemplo para que se diferenciasse um modelo, do que estes agora aqui trazidos.
No que à escalas diz respeito, a versão Slot.It está exemplar, mas devemos recordar que a versão espanhola é referente a uma sua nova aposta na época, onde se procuravam explorar alguns modelos, tendo como objectivo a performance pura e para isso, recorreu-se a um chassis rendilhado ultra-leve, uma carroçaria igualmente leve e num plástico fino, mas sem grande apuro de linhas e pormenores, pneus com grande capacidade de tracção e um motor muito mais rotativo do que os dos modelos da série mais básica, mas sobretudo, apostava-se na integração de um potente íman que os tornava verdadeiras máquinas de competição. Mas por essas razões, o mini-modelo mostra-se tosco e pouco atractivo visualmente, razão pela qual qualquer tentativa de comparação, passaria pelo maior dos disparates. Mas como se tratam afinal do mesmo modelo, fica então a curiosa comparação entre distintos conceitos.
 Mais largo e mais curto, o modelo da Scalextriuc não esconde os preceitos para que foi criado.
 Claro que a reprodução de alguns pormenores do modelo mais antigo, ficam muito aquém do que se observa no Nissan da Slot.It.

 Rodas muito pequenas à frente e de grande diâmetro atrás, eram a combinação perfeita para fazer dele um ás da velocidade.

 A secção traseira do Nissan da Scalextric mostra-se absolutamente espartana, onde nem sequer existem autocolantes a recriar o conjunto óptico que ali deveria existir.

 A Scalextric nesta série de modelos "SRS-2", apostava num revolucionário chassis e onde se permitia a troca da relação no eixo traseiro e as jantes eram fixas por enroscamento no eixo e bloqueadas pela ajuda de uma porca. A versão italiana no entanto, recorre aos mais modernos conceitos e mantém a mesma política adoptada para os restantes modelos por sí fabricados para esta classe.