segunda-feira, 8 de abril de 2013

Matra, programa ambicioso - Slot Racing Company

 A Slot Racing Company abre o jogo quanto às suas intenções de fabrico, relativamente aos modelos da Matra com que faz intenção de inundar o mercado. E quanto a estes modelos, parece virmos a ficar bem servidos, já que à imensa variedade que parece virem a fazer-nos chegar, soma-se ainda a versão da Slot.It, que trará certamente acrescida a vertente competitiva de que normalmente estes italianos dotam os seus modelos.
Mas para já abordaremos as imensas versões a que teremos direito, através da linha da SRC.
A Matra começou a construir um império nos Sport Protótipos através dos seus êxitos em Le Mans, sobretudo nos anos de 1972, 73 e 74.

 Um dos cartazes disponibilizados pelo fabricante, mostra a versão MS 670 cauda curta, aquela que viria a sagrar-se vencedora da edição de Le Mans em 1972.


 Nesta edição, participarem três versões da Matra, a cauda curta  com o Nº15, duas versões iguais para os Nºs 12 e 14 que surgiam com cauda longa e ainda uma versão mais antiga, com o Nº16, um MS 660C.

 A versão Cauda Longa com o dorsal 14, completaria a prova na segunda posição final, no que viria a confirmar a supremacia da marca nesta prova.

 Os outros dois com os dorsais 12 e 16 viriam a desistir.
Mas o programa da SRC contempla as duas variantes, a vencedora e a segundo classificado, o MS670 cauda longa, tanto na versão com o dorsal 14, como a desistente com o dorsal 12.
 Em baixo, a representação dos cauda longa onde o aileron se encontra independente das derivas verticais existentes nas extremidades, contráriamente ao que se verifica na caula curta, cujo aileron ancora nas próprias derivas verticais.

 Para 1973 a aposta da Matra recaiu no mesmo modelo, onde sobretudo a revisão foi feita ao nível do capôt traseiro, na procura de um melhor escoamento aerodinâmico. Excluíu-se a versão cauda curta, mas a aposta nos cauda longa não excluiu que o modelo com o dorsal 14 divergisse dos restantes modelos, num total de quatro participações.
 As versões com os dorsais 10, 11 e 12 encontravam-se equipados de um capôt cuja principal diferença se encontra no longo aileron duplo que aproveita a totalidade da largura do mesmo, entre as derivas verticais. A versão com o dorsal 14, aposta na filosofia do ano transacto, com um pequeno aileron central, independente das derivas, não se encontrando também tão recuado.




 Mas a Slot Racing Company não deixa os seus créditos por mãos alheias e traz-nos ambas as versões.
 Se é certo que nos interessa mais a versão vencedora, nunca será demais podermos usufruir da versão com o dorsal 14, já que faz a diferença tanto o pequeno aileron que o equipa, como ainda a forma de terminação do seu capôt ao nível da parte inferior dos guarda-lama, relativamente ao escoamento aerodinâmico inferior, que se mostra muito menos pronunciado do que no dos seus evoluídos irmãos.
 Grande obra esta da Slot Racing Company. Tratam-se de autênticas pérolas que farão brilhar o nosso slot.
Estes e o prometido Alfa Romeo, serão as próximas grandes armas deste fabricante.