sexta-feira, 5 de abril de 2013

Ford GT 40 - Superslot VS Slot.It

O assunto que me leva hoje à redacção, mais não é do que comparar quatro produções de dois fabricantes. Tratando-se em ambos os casos do modelo GT 40 da Ford, referem-se no entanto a dois participantes e vencedores de Le Mans, distintos. Isto porque, um saiu vencedor em 1966 e o outro em 1969. Os fabricantes, frente-a-frente, a Scalextric inglesa e a Slot.It.
Considerará porventura o leitor, tratar-se de uma comparação despropositada, dada a disparidade e valor dinâmico em causa, já que a Slot.It se encontra num patamar elevado de competitividade, enquanto a Scalextric/Superslot se ocupará mais duma dinâmica de estatuto mais doméstico. Será então porventura ingrata, uma comparação entre estes fabricantes, mas quanto à maquetagem temos também o fabricante inglês, em boa conta, o que servirá então para comparar a ineterpretação estética que cada um conseguiu fazer, sobre este modelo americano de grande valor histórico.





O Ford GT 40 MK II vencedor em 1966, será o primeiro a merecer as atenções críticas.
Com mais uns anitos, o modelo da Scalextric poderia denotar os defeitos de uma tecnologia mais ultrapassada, mas não. Não teremos criticas a esse nível, uma vez que surge com acabamentos de interessante nível. No entanto, um pormenor que ressalta à vista de imediato, será a cor das jantes. Originalmente douradas, incompreensívelmente a Scalextric representou-as de aro cromado e o seu interior, preto. O que à partida poderia ser tomado como uma vantagem, dada a excelência da sua reprodução, acaba por funcionar como um erro grave. A Slot.It não falhou, acertando em pleno na sua cor. De desenho igualmente bem conseguido, fica a faltar um pouco de profundidade na parte central das mesmas.
Os dorsais laterais que se encontram na porta, na Scalextric são grandes e na Slot.It, pequenos, não ultrapassando na parte inferior a faixa lateral prateada.
As faixas prateadas longitidinais que fazem parte da decoração, surgem demasiado largas no GT 40 italiano. No entanto, a silhueta geral da Slot.It, aproxima-se bastante mais da realidade. De aspecto mais compacto e grosseitro, o modelo inglês afasta-se da perfeição.
Também os ganchos de encaixe do macaco que surgem na cor vermelha, parecem-me incorrectos em ambos, já que a Scalextric peca por defeito na sua dimensão e a Slot.It, por excesso.



Numa vista superior, observa-se uma frente excessivamente arredondada, onde os cristais quase acompanham a totalidade dessa mesma curvatura no modelo Scalextric. Estes não deveriam surgir tão triangulares, como dá para perceber pela imagem, parecendo muito mais realista os faróis principais do GT 40 da Slot.It.
Ambos apresentam uma tomada de ar entre o número do capôt-frontal e o pára-brisas. Não existindo na realidade, acaba por se tornar num erro grave cometido pelos dois fabricantes.
Parecendo um pouco ficcionado o interior do óculo traseiro no caso da Scalextric, a partir de uma imagem do GT 40 Nº5 que se classificou em 3º lugar na mesma prova e que fazia parte da mesma equipa, dá para perceber que a interpretação da Slot.It, se encontra correcta.




O grupo óptico inferior, encontra-se demasiado mal representado no GT 40 inglês, para além muito massudos também em termos de plástico. No GT 40 da Slot.It, estão finamente límpidos, dimensionados e perfeitos.
Na parte inferior da frente, abaixo da tomada para os radiadores frontais, é perceptível também muita carroçaria a arredondar para a parte mais inferior, no modelo inglês. Muito melhor está no da Slot.It, já que esta acaba quase como uma lâmina. Perfeito.


A secção traseira do GT 40 da Slot.It, está uma perfeição. Não poderemos dizer o mesmo do concorrente, pois apresenta-se com uma grelha demasiado fechada e uns escapes exageradamente monstruosos ao nível do seu diâmetro e curtos no seu comprimento.
A transparência das grelhas no modelo italiano, permitem o vislumbre dos grandes depósitos brancos no seu interior, algo impossível no modelo inglês O recorte da representação dos pormenores mecânicos é também algo maravilhoso na Slot.It. Igualmente, a largura dos pnues da Slot.It se encontram mais correctos, por serem mais largos.
Existe um pormenor no modelo inglês que foi luxuosamente inserido, certamente para permitir que sobressaísse o recorte do óculo traseiro. Com esse fim, recebeu um contorno prateado. Na verdade, trata-se de mais um pouco de ficção, já que esse contorno é mesmo preto.
A faltar em ambos os GT 40, está o fino contorno cromado dos pilotos traseiros. Perdem assim algum detalhe, na vista traseira.



É óbvio que estamos perante uma máquina de muito mais nível e performances, com a opção da Slot.It. No entanto será uma aposta muito mais sensata e acertada a escolha do Scalextric, se o objectivo passar pela entrega de um destes brinquedos a um inexperiente praticante, já que se encontra muito mais apto para a recepção dos desinteressantes impactos de que são invariávelmente, alvo.


 1969 permitiu que o mesmo modelo mas numa versão algo modificada, viesse a conseguir igual glória na mesma prova. E igualmente Scalextric/Superslot e Slot.It, acabaram por sentir o apelo do seu fabrico, para o juntar às suas referências de catálogo.



E no geral, defeitos e virtudes apontados relativamente à versão de 1966, conseguimos apontar nesta segunda versão de 1969 no que respeita a ambos os fabricantes.
De silhueta muito mais conseguida, o GT 40 da Slot.It cativa-nos de imediato. Mas é notória a ausência do piloto laranja existente no centro da grelha frontal. Em nenhum dos casos foi contemplado, parecendo no entanto de fácil solução para os mais puristas.
O desenho da pintura da faixa laranja à frente, encontra-se mais correcta no modelo inglês. É fácil de perceber o quanto estão distantes os cristais dos faróis, da pintura laranja, no modelo da Slot.It.
Quanto às jantes, surgem mais fidedignas as da Slot.It, com um centro laranja mais preenchido, apesar de se manter o defeito apontado na versão de 1966, ou seja, com um centro muito pouco afundado, transmitindo assim uma imagem irreal. Um perfil de pneu muito alto à frente, também não ajudará ao melhor realismo no eixo da frente.




As ópticas principais deveriam ser pretas por dentro, mas apenas a Slot.It assim interpretou, mantendo a Scalextric a cor azul base da carroçaria.
No miolo do grupo óptico inferior deveria surgir um farol redondo de grande dimensão, mas ambos os fabricantes erraram. No seu lugar a Slot.It incluíu um farol pequeno de formato rectangular e um pisca. Já o pisca redondo e cor-de-laranja que deveria existir na barra exterior lateral frontal laranja, junto ao logótipo da "Gulf", ficou esquecido. O modelo da Scalextric contempla esse pequeno pormenor.
Mas entre as ópticas inferiores e a tomada de ar central principal, existem duas entradas de ar de formato mais pequeno e enquanto a Scalextric as representou em dimensão muito próxima da realidade, a Slot.It sobredimensionou-as.




Também na versão de 1969 a frente do GT 40 da Scalextric se mostra excessivamente arredondada.




Na traseira, alguma discrepância com a realidade se nota também no modelo da Scalextric. A inexistência dos respiros acima dos stop's e a inventada existência da lâmina aerodiâmica no limite superior do capôt-motor no modelo da Scalextric, são incorrecções imperdoáveis. Uma vez mais, a Slot.It consegue aqui uma representação bem conseguida.












O óculo traseiro contempla novamente um friso prateado no modelo Scalextric e que não existe, mas acertou na quantidade de tampões de depósito existentes no capôt da frente, já que existe apenas um e do lado direito. A Slot.It representou dois, sendo o da esquerda pura invenção. As tomadas de ar laterais junto do óculo traseiro, encontram-se bem conseguidas na versão italiana, estando muito mal retratada na versão inglesa.
Uma vez mais o veredicto joga a favor da Slot.It, com o pequeno senão, de fazer apenas parte do mundo de um expert da condução, ou do mais puro apreciador de peças de arte....