quarta-feira, 1 de outubro de 2014

BMW M1 Grupo 5 - Sideways VS Scaleauto

Os fabricantes Scaleauto e Sideways editaram já  o modelo M1 da BMW na sua versão de compatição em Grupo 5. Faremos então uma análise comparativa entre os modelos de ambos os fabricantes, onde se realçarão as características mais marcantes de ambos.
Em termos de maqueta, o BMW de fabrico italiano, o da Sideways, mostra-se mais compacto, numa clara interpretação de comprimento que foge às dimensões à escala. Torna-se por isso, mais quadradão e curto, com uma frente muito arredondada e que não corresponde à imagem real destes carros.
A versão espanhola, Scaleauto portanto, mostra uma frente com maior formato de cunha e que corresponderá mais às verdadeiras formas destes Gr. 5.
A secção lateral traseira mostra-se bastante similar entre as duas edições e onde ambos erram também no que respeita à tomada de ar lateral existente no guarda-lama. Posicionadas abaixo da linha de cintura da carroçaria, não corresponde à verdade. Já o vidro lateral traseiro na versão Sideways encontra melhor correspondência entre a miniatura e a versão verdadeira. Um tampão de combustível bem retratado e o óculo com a representação dos rebites, mostra-se mais verdadeiro.
A largura dos ailerons são também díspares, mas aqui sem dados técnicos não se torna possível fazer uma crítica passível de credibilidade. Parece-me no entanto que a maior largura do modelo azul, se encontrará mais próxima da veracidade.


No que respeita às frentes própriamente ditas e relativas à zona da incorporação dos faróis, o modelo da Scaleauto consegue uma apróximação da realidade muito bem conseguida.
Estas versões participantes em Le Mans optavam por fazer correr as ópticas para a zona central do carro, apróximando-os das grelhas centrais características da BMW, para poderem assim ser montados piscas nas extremidades. No modelo espanhol pode ver-se bem que esse cuidado existiu, mas a versão da Sideways manteve a posição original, tendo-se escusado a trabalhar nesta alteração.


Na parte traseira onde se encontram acoplados os stopes, uma vez mais a Scaleauto ganha pontos. A versão da Sauber que é a que transformou na realidade ambos aos BMW que aqui se abordam, fazia desaparecer a totalidade da parte central, simplificando-a através da montagem duma placa plana onde surgia uma abertura central de arejamento do motor e mais para fora eram montados os stopes,  sendo estes de formato também eles muito simples.
A imagem de cima mostra o BMW da esquerda e correspondente à realização da Scaleauto, em perfeita consonância com a versão que lhe deu origem. Já a Sideways, limitou-se ao aproveitamento da carroçaria com origem nas transformações da Sauber, mas não acompanhou as respectivas transformações, optando por editar esta versão munida do conjunto optico traseiro na sua mais civilizada versão, isto é, correspondente à traseira do modelo M1 tal como este nasceu e que faz igualmente parte da versão desenvolvida pela Schnitzer.  É claro que por arrasto, surgem grelhas laterais perfeitamente descabidas nesta versão. O farolim traseiro que existe ao centro, acabou por ficar esquecido.
Afinal tratam-se de dois interessantes modelos realizados sob exigentes padrões de qualidade, mas onde não poderemos deixar de enaltecer o excelente trabalho desenvolvido pela Scaleauto no sentido de nos proporcionar uma réplica de elevadíssimo nível mas capaz ao mesmo tempo de servir os intentos da competição no mundo dos slot cars.
E o que se poderá dizer no capítulo dinâmico de cada um dos fabricantes?
Para já pouco, dado nunca se ter proporcionado um confronto directo entre os dois conceitos mecânicos. Uma certeza existe desde já. Os modelos de origem Scaleauto permitem imensos melhoramentos , dada a variedade de acessórios e chassis de variadas durezas, o que nos permitirá a sua preparação assertiva, de acordo com o meio onde estes se obrigarão a rodar. Mas não há bela sem senão e estes chassis têm a sua parte de complexidade e levam algum tempo até que se consiga a perfeita preparação. Mas tivemos já oportunidade de desenvolver estes modelos até ao seu limite e depois de se fazerem as escolhas certas, tornam-se verdadeiras máquinas de competição.
Quanto às potencialidades da Sideways, está também comprovado que o seu conceito mecânico é bastante positivo, podendo ser substancialmente melhorado através da adopção de berços de motor de origem Slot.It. Se a pista o exigir, poderá igualmente ser melhorado através da montagem de suspensões da mesma origem do berço do motor. E sabe-se que a generalidade dos Gr.5 da Sideways se comportam ao mais elevado nível, o que eleva expectativas quanto à melhor das opções entre ambos os BMW dos dois fabricantes. Apenas o confronto directo acrescentará o "fim" a esta análise entre ambos os fabricantes.
No que respeita aos pesos totais dos carros totalmente montados e tal como podem ser adquiridos no mercado, este M1 da Scaleatuto mostra-se o mais pesado entre ele e todas as restantes versões editadas pela Sideways. Relembra-se que este último fabricante editou já tanto a versão da Sauber como da Schnitzer, mas entre eles a variação de peso total é reduzida. No entanto, é significativa a diferença entre o modelo da Scaleauto e as versões da Sideways.



Recorde-se que a questão dos pesos poderá ser uma falsa questão aquando da competição, já que muitas vezes se permite a substituição do habitáculo por bandejas em lexan.
Mas fica no ar, a possível guerra entre fabricantes no capítulo da competição.