domingo, 26 de outubro de 2014

Campeonato Clássicos Protótipos - 2ª Prova

 A segunda jornada deste campeonato, prometia luta mais intensa entre os participantes, já que aumentava em número mas também em qualidade competitiva.
 Luís Azevedo surgia desta feita de Chaparral, o mesmo acontecendo com o pequeno David Fernandes. Paulo Mendes insistia no seu Ford GT40 e Ricardo Ferreira estreava-se em Mc'Laren M8D, enquanto José Pedro Marques apostava novamente no seu Chaparral, mas agora capaz de melhores performances.
 Dada a presença de um total de nove participantes, recorria-se ao método de corrida contínua, mas passando-se pela aposta em três mangas virtuais, o que baralha sempre um pouco o resultado de cada piloto relativamente à concorrência.
 Mas após o início da prova se ficou a perceber o fortíssimo ritmo imposto por Luís Azevedo, Augusto Amorim e José Pedro Marques, mas com Paulo Mendes e Rui Mota a mostrarem igualmente que era preciso contar com eles.
 Ricardo Ferreira que de pouco tempo havia disposto para o desenvolvimento da sua máquina, mostrava-se capaz de baralhar algumas contas. Enquanto isso, David Fernandes mostrava o quanto produtiva havia sido a troca do Ferrari 312PB pelo Chaparral e via-se um David Azevedo a cometer excesso de erros o que o viria a penalizar sériamente na classificação geral. César Amorim contudo e apesar de imprimir um belo andamento, prova que a sua falta de treinos não lhe permite ainda poder aspirar a uma classificação de topo.
 E à medida que a prova se ía desenrolando, mais Luís Azevedo garantia que constituía a mais séria hipótese de levar de vencida esta batalha. Quanto aos dois lugares mais abaixo, a incerteza era absoluta. O mesmo se poderia dizer relativamente às quarta e quinta posições, já que tanto Paulo Mendes como Rui Mota se esgrimiam com as armas possíveis.
E Luís Azevedo havia mesmo por levar de vencida a totalidade da concorrência deixando o segundo lugar a apenas duas voltas. No entanto, esta posição havia de ser definida pelo tempo mais rápido da prova, já que tanto Augusto Amorim como José Pedro Marques completavam a mesma com o mesmo número de voltas e os mesmos metros. A vantagem, essa, acabou por pender para Augusto Amorim que se viu assim posicionado no segundo lugar da classificação geral. O mesmo quase se repetia para a definição do quarto lugar, já que uma diferença de metros apenas, daria vantagem a Rui Mota frente a Paulo Mendes.A apenas duas voltas destes e na sexta posição, classificava-se o nosso petiz David Fernandes, que uma vez mais comprova a excelência das suas aptidões para esta modalidade. Embora a estrear um novo cavalo de batalha, mostrou que não se intimida perante a fortíssima concorrência contra a qual estoicamente se degladia. Ricardo Ferreira classificou-se imediatamente a seguir e a apenas uma volta deste, o que comprova que para a próxima jornada e com mais tempo para o desenvolvimento da sua nova máquina, consiga outro resultada que desta vez não esteve ao seu alcance. David Azevedo completa 152 voltas o que o deixa a duas voltas da sétima posição, mas com um ganho de três para César Amorim, que com um Chaparral a acusar algumas deficiências, fechou a tabela da classificação geral.
 Mais uma excelente jornada, onde imperou a incerteza e o elevadíssimo nível competitivo que a maioria destes participantes têm vindo a demonstrar ao longo dos vários campeonatos a que temos vindo a acompanhar neste clube.
O pódio das máquinas, onde se começa a perceber que os modelos Chaparral 2E e o Matra-Simca MS 670B, parecem estar acima da concorrência.

 No pódio dos pilotos, o regresso de Luís Azevedo ao degrau mais alto e o ressurgimento de José Pedro Marques igualmente aos lugares de liderança.
Excelente prova, o que dignifica a qualidade dos pilotos agregados ao GT Team Slot Clube e onde se mostra um generalizado nível competitivo de se lhe tirar o chapéu. Parabéns a todos.
Para aceder aos resultados do campeonato, clique aqui.