quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Ford Transit - Preparação (5)

Como prometido, a fase seguinte de desenvolvimento da Ford Transit, passava pela construção do seu habitáculo. Essa tarefa é empreendida, através de um pouco de acetato, que depois de dobrado e cortado, se adapte da melhor maneira ao interior da carroçaria, fazendo as vezes de cabina.
 Descobertas as formas no tal material fácil de trabalhar e de peso reduzido, procedeu-se à sua pintura na cor negra que me pareceu ser a mais indicada.
 Existe uma parte recortada que será apenas para não interferir com as rodas da frente, não permitindo assim que se corra o riscos destas tocarem neste acessório.
Note-se que as cotas deste acessório serão fornecidas juntamente com o regulamento, facilitando assim a tarefa que cada um terá que executar.
 O registo do peso confirmado, ficou-se nos 1,4g, já depois de pintado.

 A sua montagem torna-se muito simples, fazendo-se o aproveitamento das longarinas originais existentes na carroçaria. Servirão para o encosto deste novo habitáculo e sua colagem.
 A zona frontal obriga a alguns recortes, de forma a encaixar perfeitamente com os pequenos apêndices que fazem parte do tablier original e que será obrigatório manter.

 Numa vista lateral embora de imagens não muito conseguidas, pode verificar-se com algum esforço, que este não vai até ao plano mais inferior da carroçaria, já que abaixo do habitáculo agora construído, ainda teremos que contar com a existência do chassis e sua mecânica.

 Tudo calculado e montado, torna-se possível verificar que tudo se adapta na perfeição. O chassis entra perfeito e este novo acessório não interfere com a sua montagem.

 Desenvolvida esta tarefa, será a vez de nos debruçarmos sobre o trabalho que as portas nos obrigarão a ter, para reduzir um pouco ao seu peso. Note-se que o regulamento obriga a que estas se encontrem fixas, pelo qual não justifica que se mantenha a parte correspondente à dobradiça.
 Recorrendo-se à ajuda de uma pequena serra elérica, decepam-se então estes indesejados apêndices.
Cumprida a tarefa, ficamos então com ambas as portas mais leves e aptas a serem colocadas definitivamente no local indicado originalmente.
0,2g é o que se ganha com a perda da dobradiça, o que será o mesmo que dizer que tivemos um ganho total de 0,4g nesta simples operação. Deveremos referir que tudo o que aqui se descreveu e viu, se encontra ainda com caráer perfeitamente provisório, sendo ainda possível desmontar e tornar a montar conforme as necessidades, uma vez que nos encontramos na fase de desenvolvimento deste projeto. No entanto, confirma-se já que a colocação das portas deverá ser mesmo a última das tarefas de toda a montagem do modelo, pois só assim será ainda possível a colocação do boneco que também obrigatório. Uma vez que se coloquem as portas já com o interior colado, nunca mais essa tarefa será possível, pelo menos sem que se recorra a estragos.

Em cima, uma imagem mais ou menos final, de como a Transit se irá apresentar. Em baixo, percebe-se que quando completa, o seu peso rondará as 110g.