sexta-feira, 29 de julho de 2011

Ford GT40 - Diferenças.....

O Ford GT40 tanto na sua versão MKI como MKII ou até num misto de transição, tem sido objecto de reprodução por parte de vários fabricantes. Fly, Superslot, NSR e Slot.It, editaram já um número significativo de versões e variantes deste que parece atraír os inúmeros praticantes de Slot.

NSR             
 O modelo da NSR nas primeiras séries, surgiu com um erro de dificil entendimento. A ausência do grupo óptico frontal inferior, foi posteriormente corrigido, o que leva a que as actuais reproduções se encontrem já correctas. Consta até que a própria NSR fez destruir na ordem de umas centenas ou mesmo milhares de carroçarias, para que este erro não se repetisse nas futuras reproduções.
FLY              
 O modelo da Fly encontra-se com uma reprodução quase irrepreensível. Pena a cava das rodas da frente se encontrar tão reduzida, o que desvirtualiza a imagem que este carro ostenta na realidade.
SUPERSLOT

A Superslot editou também esta série do MKI, com excelente qualidade geral. O único senão encontra-se relacionado com a forma como se encontram enquadradas as rodas da frente. De aparência exagerada em tamanho, talvez nos seja essa imagemn transmitida apenas por não se encontrarem devidamente encaixadas. Isto é, se o modelo tivesse sido mais rebaixado nesta zona, talvez se tivesse conseguido um melhoramento estético substancial. Isto mereceria também obviamente, que as mesmas tivessem sido reproduzidas em dourado e não na cor preta tal como surgem neste modelo de Le Mans em 1966.

 Esta série surge com um capôt-motor onde o grupo óptico se divide em dois elementos de cada lado e de reduzida dimensão. Interposta surge uma grelha de arejamento, que foi diferenciadamente interpretada por cada um dos fabricantes em causa. E a pior de todas parece-me encontrar-se a da NSR enquanto a da Fly merece a melhor referência.

O modelo da Superslot, viu a dimensão dos escapes ridiculamente reduzida.

 E entre a versão MKI e MKII, a distinção maior faz-se ao nível do capôt-motor, uma vez que praticamente o restante do modelo se manteve inalterado. Mas considero uma aposta arrojada e ao mesmo tempo muito curiosa a da primeira reprodução da Slot.It, uma vez que se trata de uma espécie de modelo híbrido. Alan Mann encontrrava-se a desenvolver este modelo e adaptou o capôt dos primeiros Ford GT40 a algumas evoluções, tais como as tomadas de ar superiores e um grupo óptico que viria também a ser adaptado aos modelos seguintes.
 Mais tarde, os Ford GT40 haveriam de retomar o original capôt dos MKI e foi nessa configuração e com a decoração da Gulf que conseguiriam as duas últimas vitórias dos Ford GT40 em Le Mans, em 1968 e 1969.
 E é justamente a reprodução desse último êxito que a Slot.It nos fez agora chegar. A imagem de cima mostra esse modelo, enquanto em baixo se pode ver a reprodução da Fly do GT40 em configuração de 1968.
Mas de todas as edições, só poderemos pensar em termos competitivos no Slot, através ou da Slot.It ou da NSR, os únicos praticáveis após a exclusão do íman.

 Também adoptando uma solução mais ou menos equiparada quanto aos seus conceitos dinâmicos, são modelos que proporcionam performances de alto nível. De comportamento honesto e agradável, ficará entre ambos a discussão de qual o melhor GT40 existente no mercado.

 Na balança, a vitória cabe ao modelo da Slot.It, tanto quanto à totalidade do peso, como apenas no que se refere ao da carroçaria, mas de muita coisas outras variantes depende o bom comportamento de um modelo de Slot.

 Agora, falta surgirem as primeiras provas de clássicos, para ver para que lado pende a balança no verdadeiro tira-teimas.