quinta-feira, 21 de julho de 2011

O modelo que nunca estará certo.


 A Avant Slot editou já a segunda versão do Porsche Kremer K8.
A honra da estreia coube à versão participante em Le Mans em 1995 e sob as cores da STP. Constituiu novidade absoluta para o Slot e de muito bom grado para os praticantes, pois era a primeira vez que um fabricante focalizava atenções neste modelo que permite uma série de decorações, uma das quais com muito significado para "nuestros hermanos", já que o seu nacionalismo muito privilegia as cores da Repsol.
 Mas em termos estéticos, a versão recentemente chegada parece ter recebido maiores atenções, já que o efeito visual proporcionado pelas cores da FAT, assim ditam.
 Em tudo iguais à excepção da própria decoração, será então uma questão de gosto, preço ou oportunidade, a opção de escolha na hora da sua aquisição.
 Contudo, goste-se ou não, o modelo acarreta um erro dificilmente compreensível. De imediato e no primeiro contacto tido com a primeira versão chegada ao mercado, algo me apontava para uma frente desagradável, provavelmente mal reproduzida.
 E assim é de facto, surgindo o minimodelo com uma distância eixo frontal / limite frontal da carroçaria, exageradamente alongada, somada ainda a uma altura bem fora da realidade.
Repare-se como a realidade nos mostra uma frente quase a roçar o solo. As cúpulas das ópticas que contemplam apenas um farol cada, foi desvirtuada surgindo na réplica da Avant Slot, com dois. Dá também para perceber o quanto foi esticada a frente, ao mesmo tempo que se constata a péssima linha de descida da carroçaria entre a cava das rodas frontais e as ópticas.
Compreendemos isto como uma solução na procura das cotas ideais para o bom desempenho dos modelos, mas a verdade é que se perde algo, apróximando-nos quase, da ficção.
O exagero do comprimento da frente deste Kremer, obrigou a que o Logótipo da FAT de grandes dimesões e que surge na parte da frente, acabou por ter que ficar bastante distante do cokpit, já que houve necesidade de se recorrer a novos espaçamentos, de forma a disfarçar sem dar muito nas vistas....
 Quanto às jantes utilizadas nesta segunda versão, embora a maioria das fotos nos mostrem jantes diferentes, a verdade é que participou com os dois tipos, o que leva à correcção da adopção tomada.
 Nos flancos laterais, a carroçaria não vai de cima a baixo, num plano só. Isto é, se atentarmos à imagem que encima se mostra, abaixo do nº1, a carroçaria surge metida para dentro, situação que acontece desde a cava da roda frontal até à perna do último P do logótipo da IPP.
A linha de cintura da carroçaria e na sua vista lateral, mostra-nos outro erro de proporções. Se imaginarmos a ligação da frente do modelo com a sua traseira e se considerarmos que esta é feita na zona da tomada de ar superior para os radiadores, o seu desnível não é tão acentuado como surge na réplica deste Kremer K8. Versões existem no entanto, em que a reprodução da Avant Slot e no aspecto agora aqui apontada, cairia como uma luva, mas não nas duas agora editadas. É o caso da versão da "Motul" participante em 1995 em Le Mans. Aqui, o desnível na ligação entre a frente e a traseira, é muito mais acentuada.

 Outro pormenor de incorrecta reprodução, prende-se com as paredes laterais do aileron. O recorte mais inferior da mesma apresenta um desenho que não corresponde à reprodução do minimodelo. Este, era muito fácil de se ter conseguido uma exacta reprodução. Para mim, esta é incompreensível.
 Agora, aguardemos pela continuidade de reproduções, pois mostram-se aqui alguns possíveis projectos futuros.
Quando chegar a vez da versão "Repsol", esperemos que sejam contempladas as tomadas de ar verticais que se encontram acima do símbolo lateral da Repsol.
Esperemos que a Avat Slot desperte para uma maior atenção em futuros lançamentos de novidade, pois este parece-me ter-se tratado de algo que mereceu pouco cuidado por parte do fabricante espanhol.