terça-feira, 8 de novembro de 2011

Igualada, Barcelona e muita coisa boa...... As nossas aventuras....

A  experiência pela qual passei eu, os elementos do GT Team / ART, do Slot Clube da Trofa e ainda do Slot Clube do Porto, transformaram esta verdadeira aventura, numa família bem fortalecida.
Tudo começou com um início de viagem absolutamente inesperado. Um dos nossos mais importantes elementos, o Augusto Amorim, viu-se retido na fronteira por questões meramente burocráticas e que se prenderam com a sua nacionalidade brasileira, apesar de cidadão de plenos direitos nacionais.
E foi assim, que este elemento viu partir a caravana dos restantes elementos, para uma aventura que lhe estava também no sangue e que preparara com todo o afinco.
E o GT Team/ART viu apenas Rui Mota, Paulo Mendes, Luís Azevedo e Nuno Aguilar chegar ao terreno onde todas as batalhas iriam ter lugar.
Entretanto em Portugal, Augusto Amorim debatia-se com as dificuldades burocráticas de uma embaixada que se mostrava pouco cooperante, ao mesmo tempo que em Igualada, era Rúben Almeida que se desdobrava em contactos até conseguir um comprovativo que seguia via Fax para Portugal, com a garantia de que este elemento se deslocava para um evento de cariz desportivo internacional. E foi já ao fim desse mesmo dia que víamos com muito agrado e descompressão, chegar este expert do Slot à catedral da competição, num dia em que decorrera já a primeira das competições, aquela dedicada aos Mercedes SLS da Scaleauto.
 Mas não vou começar esta crónica com os resultados conseguidos, deixando antes esse assunto, para uma segunda fase. Mas adianto desde já, que Nuno Aguilar e Luís Azevedo, conseguiram um verdadeiro brilharete, na sua participação pela prova dedicada aos Porsche 911/997 da NSR.
O primeiro dia serviu então para nos inteirar-mos do traçado da pista, maravilharmo-nos com algumas das apresentações dos fabricantes, contactos com fabricantes, onde tive oportunidade de rever Miquel Miret, o proprietário da Sloting Plus e que em conversa me punha a par de alguns dos seus projectos futuros, onde por exemplo consta o surgimento de um novo carro, agendado para o início do próximo ano. E questionado relativamente à falta de decorações como rentabilização do seu Reynard, como resposta ficou o esclarecimento de que tudo é afinal uma questão de falta de qualidade apresentada pelas produções "Made In China". E o pouco que conheço deste homem, já dá bem para acreditar nesta sua justificação, pois o grau de exigência de Miquel Miret, é verdadeiramente elevado. A abertura e franqueza deste corpulento senhor, permitiu-me que em segredo desvendasse e me mostrasse um dos seus segredos, a ser ainda durante este ano editado. Por razões óbvias, não poderei antecipar do que se trata, mas asseguro que se trata de um produto de excelência e que será do agrado de muita gente. E daqui, um muito obrigado a este senhor que muito admiro, pela generosidade e confiança em mim depositadas.
 Passando pelo Stand da Slot.It, apanhei o próprio Maurizio Ferrari em testes de desenvolvimento do seu sistema digital "Oxigene". Claro que depois de alguma espera, lá foi possível abordá-lo para algum diálogo e conseguir que assinasse os nossos modelos de seu fabrico, coisa para a qual se prontificou de imediato. Devo dizer que se trata de um acessível e simpático italiano, aliás à semelhança da totalidade dos fabricantes com que consegui entrar em diálogo.
 Foram vários os modelos que vieram com a rúbrica dos fabricantes, pois além dos modelos da Slot.It, também os Porsche da NSR foram alvo de idêntico registo, bem como o Mercedes SLS, que veio assinado por quem desenhou este modelo na Scaleauto.

Depois de algum diálogo e de me ter mostrado a sua última criação, o Lola LMP, no fim, aquele abraço também ficou para a posteridade, ao mesmo tempo que se mostrou maravilhado com a decoração apresentada pela nossa equipa. "Precioso" foi a expressão utilizada para definir o seu agrado.
 E enquanto nos íamos nós maravilhando com algumas apresentações e diálogos de vária ordem, a organização fazia decorrer várias competições, onde não faltaram algumas para os verdadeiros iniciados. A criançada foi alvo de alguma atenção por parte da organização, havendo também no final, as correspondentes entregas de prémios.
Crianças, mães e pais, eram verdadeiramente absorvidos pelo encanto do Slot. Afinal, estávamos no reino e capital da modalidade e assim, outra coisa não seria de esperar.
Embora sem registos fotográficos, um dos momentos maiores desta ida a Igualda, decorreu pelo nosso contacto com os empresários da NSR. Tendo eu apanhado estes elementos preparados para testar o novíssimo Audi R15 Plus, inteirei-me deles na óbvia tentativa de que assinassem os nossos Porsche 911/997, de onde se proporcionou um longo e interessante diálogo. Como haviam acabado de receber e montar o novíssimo Audi, réplica do último vencedor de Le Mans, começavam a dar as primeiras voltas, numa das pistas onde decorriam as nossas provas. E prontamente passaram o modelo para as mãos de Paulo Mendes, seguido de mim mesmo, Luís Azevedo, Nuno Aguilar e finalmente, Augusto Amorim. Podemos pois dizer com imenso orgulho, que fomos as primeiras pessoas no mundo a testar este modelo em pista. E para que saibam, é um verdadeiro maquinão, apesar de o termos testado, ainda no seu mais puro estado.

Quanto às provas onde nos iríamos defrontar, os primeiros contactos, foram-nos mostrando que estávamos perante um respeitável inimigo. O traçado da nossa guerra.
Tratando-se de pistas Ninco, eram já por si, algo que não nos deixava muito à-vontade. Depois, curvas à moda da Ninco, com trajectórias que nada têm que ver com as da Carrera a que estamos habituados, dificultavam sempre um pouco mais.
Em cima podem ver-se o Filipe Vilas Boas e a Ana Veloso, ambos da Trofa e Paulo Mendes do GT Team/ART Slot Cars.
 Mas o imenso espaço disponível, estava aberto a muitas mais competições, para além daquelas em que nos sentíamos minimamente preparados. Pistas gigantes em madeira e preparadas para a competição à escala 1/24, era uma das vertentes presentes. E como em baixo se pode observar, zonas havia em que a trajectória das curvas era convergente ao que às calhas diz respeito, através de um verdadeiro estrangulamento.

 De armas e bagagens, lá fizemos a nossa chegada ao imenso pavilhão.
 Os ralis são um dos pontos fortes desta concentração de slotistas, onde se prima verdadeiramente na componente paisagistica das pistas, onde se podiam observar maquetas de grande nível.


 A primeira das provas aconteceu com os Mercedes-Benz, onde pela ausência de Augusto Amorim, se optou por participar com duas equipas mistas, com elementos de Braga e da Trofa.
 Próximamente, mais desta bela aventura que me maravilhou.