domingo, 25 de dezembro de 2011

Lola B09/60 Slot.It

Lola B09/60 - Drayson Racing

14º na grelha da edição das 24 Horas de Le Mans 2010
28º à geral, mas não qualificado



Nesse ano, a pole position coube ao Peugeot de Pedro Lamy.

 A última criação da Slot.It, um modelo que sai pela primeira vez da sua convencional linha dos GT1, Clássicos ou Grupo C, parece não ser apenas mais um carro de uma nova categoria, já que este fará parte da categoria LMP, mas parece tratar-se antes, de uma verdadeira revolução.
Tratando-se de uma nova aventura numa nova categoria e esta já inundada por fabricantes como a Spirit, Avant Slot, NSR, SCX e Scaleauto por exemplo e cientes de que a guerra passaria a ser bem a sério, acabou por nascer um Lola de última geração, modelo que poderá não agradar a muitos mas que não deixa de marcar uma verdadeira época automobilística, surge dotado afinal de um par de novos conceitos capazes talvez, de vir a arrebatar algumas verdades quase consideradas inabaláveis.


Mas para isso, será importante verificarmos primeiro em pista, se existe uma verdadeira correspondência entre inovação, resultados práticos e o que interessa mesmo, resultados nas tabelas de classifificação à geral.
De carroçaria anunciada como ultra-ligeira e apresentando um peso total de 15,5g, começa por ser a primeira das grandes vantagens que poderão influenciar verdadeiramente, uma boa desenvoltura geral deste Lola em pista.
Muito bem desenhado, onde não faltam aqueles pormenores que ao longo dos tempos nos têm vindo a encantar neste fabricante, tratar-se-á duma cobiçada peça sobretudo para coleccionadores, pois esta decoração é seguramente das que mais marcaram este modelo da Lola.

De qualquer dos ângulos em que possa ser observado, não parece apresentar pormenores alvo de critica. Mas pelo contrário, estaremos perante uma carroçaria muito bem proporcionada, onde o grande elogio pode ser apontado à parte traseira, onde se conseguiu manter a forma original do capôt, não o deformando para a montagem da cremalheira, nem o próprio motor obrigou a que esta secção tivesse sido alvo de adaptações que alterassem as suas formas.
Talvez menos conseguido, esteja a representação da cor verde metalizada, que para além de não parecer metalizada, parece ainda apresentar-se demasiado escuro.



As grelhas traseiras encontram-se simuladas através de acetatos transparentes, onde as respetivas grelhas passam apenas pela sua representação em pintura.


Os Stop's deste modelo, encontram-se numa curiosa posição que no modelo à escala 1/32, não dá para representar.

Como se verifica, a parte central do capôt traseiro, não sofreu qualquer deformação. A adopção do motor em posição angulada e cremalheira lateral, ajudam à resolução desta questão.

Originalmente, foi mostrado um capôt com a parte central bem mais alargada, justamente para absorver a cremalheira para motor em posição inline.

Mecânicamente surgem novidades, algumas de vulto e de crucial importância.
Novo motor mais performante, é a primeira das apostas. Também o seu berço é de novo desenho, onde se permite agora a adoção de íman, mesmo por baixo do eixo traseiro, proporcionado pela exclusão do anel central onde funcionava o stoper.
No próprio chassis e junto à secção frontal do berço do motor, surgem dois orifícios que poderão prever já a existência ou desenvolvimento do que poderão vir a ser suspensões para esta secção do berço.
Mas porventura a grande revolução, encontra-se na parte frontal do chassis.

Surge inovador o formato do apoio do patilhão, pois foi concebido para receber um novo patilhão de formato inteiramente novo. Na verdade, não sendo este orgão verdadeiramente inovador, pois já nos anos 60/70 existiram fabricantes a produzir patilhões deste tipo, parece que o aproveitamento deste conceito, poderá trazer aos nossos dias verdadeiros benefícios.
A vantagem imediata, é conseguir-se avançar até ao limite das carroçarias os patilhões, fugindo ao prejuízo dos fios na sua extremidade, que muitas vezes complicam o bom trabalhar desta peça, ao raspar na parte superior da carroçaria. Mas outra das vantagens que parece surgir, é o reforço do seu apoio pela existência de 2 pontos de fixação ao chassis que passam agora a existir, aumentando dessa forma a rigidez deste orgão.




O patilhão será a parte mais revolucionária deste modelo e acreditamos que venha a equipar as restantes séries daqui para a frente. Sendo de clipe, por encaixe, permanece de fácil aplicação pelo exterior.
Os fios passam a entrar no patilhão pela parte mais recuada o que porventura obrigará à utilização de palhetas de novo formato também, eventualmente com a adopção de uma parte mais rígida ou até mesmo metálica, para poderem trancar os fios. Estas entrarão pelos orifícios que fazem parte destes novos patilhões, nas suas extremidades, tanto frontal como posterior.

Grandes novidades nos traz este Lola, o que deixa os Slotistas bastante expectantes quanto às equivalências entre as recentes máquinas LMP que têm chegado, como é o caso do Audi R18 da NSR. No entanto uma grande diferença existe entre este e os anteriores. Enquanto os já chegados apostam em motores em posição inline, este é agora anglewinder.
E por falar em Audi R18 TDI, este encontra-se já na linha de novidades da Slot.It........