domingo, 6 de março de 2011

BMW 6.35 CSI

 O BMW 6.35 CSI, foi uma das boas reproduções trazidas até nós, pelo fabricante Spirit. Três versões foram reproduzidas, a da "Jägermeister", da "Bastos" e "Gitanes". Mais se esperavam, pois o seu catálogo assim o fazia prever, mas com a situação económica que o fabricante vivia, não foi possível dar continuidade a tão interessante programa.
 Modelo muito bem reproduzido, o 6.35 pecou por um erro de concepção muito pouco apreciado pelos praticantes de Slot e que talvez tenha ditado o seu pouco sucesso comercial.
O seu chassis faz a ancoragem à carroçaria na zona traseira por pilar fixo na própria carroçaria e à frente, a fixação faz-se na bandeja porta-piloto. De facto, uma situação pouco compreensível e de poucas garantias práticas de sucesso.
 Esta solução pouco recomendada veta algumas afinações, pois a placa porta-piloto é sempre um orgão que permite uma série de vibrações pela sua falta de rigidez. Não funciona com a solidez exigida, de um bloco só. Então, para que o conjunto possa funcionar agradávelmente, será necessário recorrer-se a soluções que normalmente passam pelas colas, o que nem sempre é do nosso agrado.
 Mas a gravidade maior passa afinal pela falência da Spirit, que assim inviabiliza a possibilidade de podermos contar com outras versões bem interessantes, como as oficiais e as suas extraordinárias decorações.
 A Schenitzer que preparava os modelos oficiais, apresentava estes belos 6.35 com a representação mecânica a decorá-los.


 Mas outras possibilidades havia para apresentar nesta carroçaria.

 Assim como não faltavam também os modelos que participaram em Portugal pelas mão por exemplo de Manuel Fernandes ou Sidónio Cabanelas, dois pilotos fora de série, ambos já falecidos.