segunda-feira, 14 de março de 2011

Pequenos de eleição

Neste artigo, dedico a atenção a modelos que pelas suas reduzidas dimensões não poderão nunca, ou quase nunca, ser matéria capaz de atingir o estrelato no campo que os acolhe, no reino dos atletas do Slot.
Contudo, por uma razão ou por outra, estão para mim num pedestal que outros, apesar do seu potencial atlético, não poderão nunca ocupar o seu patamar.
E começa por merecer a primazia do artigo, este velho mas simpático e importante modelo de fabrico Scalextric GB, não pela sua qualidade enquanto réplica, mas pela fidelidade conseguida por analogia, com o modelo que lhe dá origem. Interessante mas sem proveito prático, a tracção à frente que caracteriza este Mini, é de facto um marco. Equipado de um motor RX de pequena dimensão, ficará para sempre a marcar a história do Slot.
Outro Mini, mas grande enquanto réplica, está este modelo deste mesmo fabricante. Consequência do acompanhamento tecnológico dos anos que se passaram entre cada um, encontramo-nos perante uma miniatura de extraordinária qualidade.
Duas modelos foram já editadas com base na mesma carroçaria, representando duas versões do Rali de Monte-Carlo. Louva-se as alterações que o fabricante introduziu, para assim apresentar com maior fidelidade cada um deles.
Da mão da SCX, surgiu o Fiat 600 Abarth. Não sendo um modelo de extraordinários cuidados e elevado requinte, representa muito bem um dos modelos desta marca que mais marcou a competição nas pequenas cilindradas. Enquanto modelo de Slot, temos aqui um dos melhor conseguidos modelos de pequenas dimensões. De comportamento surpreendente, chega mesmo a proporcionar-nos algum gozo.
Menos conseguido na superfície plástica, surge de produção Revell, este lindo Simca 100 Rallye 2. Se não acompanha o 600 na pista, bate-o largamente enquanto maqueta. De grandes pormenores onde não faltam os belos cromados, deixa-nos a questionar porque razão não editou ainda este fabricante, o Rallye 3. Um modelo que me deixa ansiosamente expectante.
Ainda da mesma produção, o NSU TT.
Outro belo exemplar, do qual editaram duas versões.
Primeiro, a versão mais civilizada, com o seu característico radiador frontal e o capôt-motor entreaberto.
Depois, este mais pujante NSU, cujos alargamentos de carroçaria e o pequeno spoiler frontal que engloba o radiador, nos mostra um mais arrojado modelo de competição.
A decoração "Jagermeister", proporciona um cativante suplemento estético.
O recentemente chegado ao mercado MG Metro 6R4 produzido  pela MSC, é um dos raros exemplos de modelos desta dimensão, capazes de fazer estragos, quando em competição pura. Modelo capaz de pousar os cavalos tanto no eixo de trás como no da frente, consegue mexer-se com grande facilidade nos complicados troços de rali.
Conseguindo aliar uma excelente reprodução a uma tremenda eficácia, acaba por posicioná-lo num patamar raro, o dos pequenos modelos capazes de  grandes resultados.
E permitam-me agora que a este lote de modelos eleitos, junte ainda este Ford Cortina. Não fazendo verdadeiramente parte dos modelos dentrro do mesmo conceito de pequenos modelos, acaba por situar-se no mesmo degrau de performance, mas também no dos meus conceitos de belas reproduções. E sem dúvida, aqui, este Lotus Cortina é mais uma das jóias da Revell.